Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Valdemar Júnior (PMDB) criticou o voto do deputado federal Vicentinho Júnior (PR/TO), contrário ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Na sessão desta terça-feira, 19 de abril, na Assembleia Legislativa, Valdemar declarou ter apreço por Vicentinho mas chamou a sua justificativa de voto como vazia e sem nexo.

Do Tocantins, os únicos deputados a votaram contra o impeachment da presidente Dilma foram Irajá Abreu (PSD) e Vicentinho Júnior. Valdemar disse que o cenário não foi condizente com a justificativa de Vicentinho. “Percebi que não é mandato que nos dá a maturidade da vida. Quando ele profere seu voto ao invés de dizer por quais razões, ele faz a sua escolha, seja pelos 54 milhões de votos, seja pelo trabalho e legado que o presidente Lula deixou ao País, seja pelo trabalho que a presidente Dilma está fazendo pelo Brasil, não! Ele prefere fazer um discurso vazio e um discurso sem nexo trazendo o governador Marcelo Miranda naquele momento para um cenário que não cabia”, afirmou

Valdemar Junior defendeu o governador do Estado, Marcelo Miranda (PMDB). “Ele (Vicentinho) disse que votaria pelo não, porque o Marcelo foi cassado em 2009 e o Tocantins inteiro sabe porque que o Marcelo Miranda foi cassado em 2009 e não foi por roubo, não foi por desvio, foi porque estava fazendo um programa social chamado Governo Mais Perto de Você e fala que o Marcelo foi cassado também em outro período. Marcelo não foi cassado em outro período! Marcelo foi eleito senador e a justiça entendeu naquele momento que o governador Marcelo Miranda, candidato a senador, não poderia, por não estar em dias com a Justiça Eleitoral”, disse.

Valdemar Júnior manifestou repúdio a justificativa do deputado Vicentinho. “Ele tem que bater o joelho no chão e agradecer a Deus pelo entendimento da Justiça Eleitoral porque foi por esse motivo que deu a oportunidade para o seu pai, Vicentinho Alves, pudesse ainda estar, até hoje, não sei por quanto tempo, senador da República pelo Estado do Tocantins. Então eu quero repudiar a fala do garoto, do menino Vicentinho pela falta de conteúdo, pela falta de comprometimento com o nosso eleitorado, com o nosso povo e pela falta do contexto ao apontar o seu voto naquele momento. Eu acho que os 50 e tantos mil eleitores que o elegeram na última eleição esperavam muito mais dele num momento de seriedade, num momento importante para a democracia brasileira e num momento em que um voto dado naquela tribuna teria que ser levado muito mais a sério do que ele levou”, afirmou.