Educação

Foto: Gustavo Bezerra

A presidente Dilma Rousseff criou nesta segunda-feira, 9, cinco novas universidades federais no País, entre elas, a Universidade Federal do Araguaia, em Araguaína/TO, fruto do desmembramento do campus da Universidade Federal do Tocantins.

A presidente afirmou que a criação das universidades de Catalão e Jataí, em Goiás, em Rondonópolis, no Mato Grosso, do Delta do Parnaíba, no Piauí e a Universidade do Norte do Tocantins, é um passo importante na interiorização da educação. As novas universidades se somarão às 63 existentes, das quais 18 foram criadas nas gestões petistas. A presidenta Dilma também inaugurou 41 novos campi de institutos federais, totalizando 602 no Brasil, 224 obras em 38 universidades federais e nove obras em institutos.

O ministro Aloizio Mercadante destacou os avanços que a educação alcançou nos treze anos de governos do PT, baseadas no tripé: acesso e inclusão, permanência e qualidade. Entre os exemplos do legado que a Pátria Educadora deixará para as futuras gerações, o ministro ressaltou a criação do Plano Nacional da Educação, da Base Nacional Comum Curricular, do Enem, Prouni e Fies, além da importância do Bolsa Família para a permanência das crianças na escola.

Enquanto o ministro da Educação ainda discursava, a notícia que o presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), havia anulado a sessão que aprovou a admissibilidade do procedimento de impeachment chegou ao Palácio do Planalto. Ovacionada pela plateia, que gritava palavras de ordem, a presidenta Dilma Rousseff pediu cautela porque “vivemos uma conjuntura de manhas e artimanhas". Uma nova sessão para votação do processo está marcada para daqui a cinco sessões da Câmara.

A presidenta voltou a repudiar o golpe e disse que o golpe não é só contra ela, mas contra o projeto de governo do PT. “Peço uma certa tranquilidade para lidar com isso. É fundamental que a gente perceba que as coisas não se resolvem sem luta e disputa. Quero reforçar que é um golpe contra o que a democracia propiciou para todos nós: o primeiro operário presidente da República, a primeira mulher presidente do Brasil", disse.

Senador Donizeti Nogueira

O senador Donizeti Nogueira (PT-TO) participou ao lado do prefeito de Colinas do Tocantins, José Santana Neto (PT) e do secretário de Educação de Palmas, Danilo de Melo Souza, da cerimônia de assinatura do ato de criação das instituições. “Essa é uma reivindicação antiga do povo do Norte do Estado e hoje a presidenta Dilma prova que o Brasil é sim uma pátria educadora, garantindo que o Tocantins tenha duas universidades federais”, disse o parlamentar.