Palmas

Foto: Luciano Ribeiro

A uma semana do aniversário de Palmas, o primeiro marco histórico e religioso da capital tocantinense retorna ao seu local de origem, renovado. A cruz de Pau-brasil, fincada no dia 1º de maio de 1989 na área onde seria construída a Praça dos Girassóis, e onde se rezou a primeira missa, estava seriamente danificada.

O superintendente de Administração e Finanças da Secretaria de Governo, Jânio Carvalho, explica que a retirada do cruzeiro, há cerca de 15 dias, foi necessária, já que sua base estava oca, tornando-se um risco para os visitantes. A cruz foi levada para a oficina do Governo do Estado, localizada nas proximidades do Palacinho.

O trabalho de restauração foi realizado por Francisco Vieira. “Coloquei uma base de metal por dentro da cruz e por fora fiz uma selagem”, contou o carpinteiro que também restaurou o Monumento aos Dezoito do Forte. “Está parecendo nova, mas é a mesma cruz”, garantiu ele, que fez a reinstalação nesta sexta-feira, 13.

Praça dos Girassóis

A Praça dos Girassóis é a maior praça da América Latina e a segunda maior do mundo, perdendo em tamanho apenas para a Praça Merdeka, na Indonésia. A cruz em Pau-Brasil, esculpida pelo artesão Arnildo Antunes, foi o primeiro monumento histórico erguido em Palmas, tendo sido tombado no ano 2000 como Patrimônio Cultural da cidade.

Além do cruzeiro, a praça contém vários outros monumentos, como a Rosa dos Ventos, desenhada no chão em pedras portuguesas, a Fonte Luminosa, o Relógio do Sol, a Praça Krahô, o monumento aos Dezoito do Forte de Copacabana, o monumento Súplica dos Pioneiros, o Memorial Coluna Prestes e o próprio Palácio Araguaia, sede da administração estadual que contém frisas externas e painéis internos que contam a história do Tocantins.