Campo

Foto: Divulgação

Uma carga de 1.500 quilos de camarão sem registro no Serviço de Inspeção Federal (SIF) e fora das normas higiênico-sanitárias foi apreendida na barreira fixa da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), em Aguiarnópolis, na tarde dessa segunda-feira, 30. O dono da carga foi notificado e multado no valor de R$ 2 mil reais e os produtos foram inutilizados no aterro sanitário do município.

Segundo o chefe do escritório local da Adapec de Aguiarnópolis, Deusiano Bandeira Almeida, a carga saiu de Aracati – CE e seguia com destino para Porto Velho – RO. Na barreira, os fiscais conferiram a carga e perceberam que se tratava de camarões secos sem o SIF, que é obrigatório para o comércio e trânsito interestadual. “Além disso, os produtos estavam mal acondicionados e fora das normas higiênico-sanitárias, misturados com vestimentas e até uma motocicleta”, contou Deusiano.

Os fiscais que estiveram na apreensão, Edivanilson Machado, Magno Medeiros e Mauro Gonçalves, contaram que de acordo com a nota fiscal apresentada a carga foi avaliada em R$ 13.572 reais, e que encontraram os produtos dentro de sacos plásticos para lixo e em caixas de papelão, sem rotulagem de origem e qualquer especificação sobre o produto. Segundo apuraram, com o condutor os camarões seriam vendidos no comércio ambulante de Porto Velho – RO. A empresa também não possuía registro em nenhum dos órgãos oficiais de inspeção.

O supervisor técnico da área animal da regional da Adapec de Araguaína, Marques Barbosa de Oliveira, alertou sobre os riscos de consumir produtos nestas condições. “Alertamos a população para não adquirirem produtos sem inspeção oficial, pois há um grande risco de contrair uma intoxicação alimentar por meio de bactérias, toxinas e coliformes fecais, sendo que uma intoxicação por este último pode transmitir o botulismo e levar à morte”, disse Barbosa.

A destruição da carga foi realizada pelo escritório local da Adapec de Aguiarnópolis e contou com o apoio do destacamento da Polícia Militar daquele município.