Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD) entrou na sessão desta quarta-feira, 15 de junho, com requerimento em regime de urgência, de sua autoria, visando convocar entidades responsáveis pelo estudo de revisão da Planta de Valores de Palmas, do ano de 2014, comprovando que a gestão da Capital, comandada pelo prefeito Carlos Amastha (PSB), vem cobrando IPTU acima do recomendado pelo estudo.

Entre as entidades responsáveis pelo estudo está o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci). Wanderlei Barbosa participou no dia 7 de audiência na Câmara de Palmas, solicitada pelo vereador Milton Neris (PP), para discutir o assunto. Neris foi quem providenciou o estudo.

Wanderlei Barbosa informou que o estudo de revisão foi anexado ao requerimento. Segundo ele, é importante ouvir “as entidades que não tiveram direito à réplica, como também não tive replica na Câmara, para que possamos discutir, fazer o prefeito baixar esse imposto”, afirmou.

De acordo com o deputado, a Câmara de Palmas será convidada a participar. "Nós queremos que o presidente, vereador Rogério Freitas, esteja (presente). O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (vereador Emerson Coimbra) para que eles possam também discutir conosco", afirmou. Para o deputado, se o imóvel vale R$ 100 mil, o contribuinte tem de pagar por R$ 100 mil e não por R$ 300 (mil), da maneira que o prefeito fez, majorou o preço dos imóveis para cobrar o imposto mais caro e isso é crime, apropriação indébita e o prefeito dessa cidade vai ter que cair na realidade", frisou. 

Wanderlei disse esperar atitude do Ministério Público no sentido de devolver os recursos recebidos ilegalmente pela prefeitura, ao povo de Palmas. "As famílias de Palmas que pagaram IPTU majorado nessa cidade", disse. 

Taquari e outros 

Wanderlei Barbosa disse na sessão de hoje que o prefeito Carlos Amastha utiliza do Taquari como "massa de marketing". A afirmação foi após leituras de manchetes de jornais do Estado, uma delas falando sobre a morte de um pedreiro no loteamento irregular Capadócia, próximo ao Setor Taquari.