Polí­cia

Foto: Divulgação

Uma ação de combate à criminalidade, deflagrada por Policiais Civis da 5ª Delegacia Regional de Guaraí, na manhã desta terça-feira, 21, resultou na prisão do foragido da Justiça de Palmas, Manoel C. de O., de 45 anos, naquele município.

Manoel é acusado pela prática de um homicídio qualificado, ocorrido em junho de 2007, na Capital e foi capturado, em ação policial comandada pelo delegado Adriano Carrasco e coordenada pelo delegado regional Guido Camilo, quando se encontrava em um posto de combustíveis, onde trabalhava.  

Conforme o delegado Adriano Carrasco, por volta das 8h30min da manhã desta terça-feira, a esposa de Manoel compareceu à Central de Flagrantes da PC, em Guaraí, a fim de registrar um Boletim de Ocorrência contra o homem pela prática do crime de violência doméstica. Após efetuar investigações sobre a vida do denunciado, os policiais civis descobriram que havia um mandado de prisão em aberto contra o mesmo, oriundo da Vara Criminal da Comarca de Palmas, pela prática do crime de homicídio qualificado, em 2007.

Ao ser interrogada pelo delegado, a mulher afirmou que Manoel, além de agredi-la, guardava algumas armas de fogo em casa. Com base nas informações, os agentes foram até a residência do casal e, após efetuar algumas buscas no interior do imóvel, localizaram um revólver calibre 38, com seis munições intactas, uma espingarda calibre 20, além de quatro artefatos de caça conhecidos como “créfi”.

Em seguida a equipe da 5ª Delegacia Regional de Polícia Civil, foi até o local de trabalho do acusado e efetuou a sua prisão. Manoel foi levado à Delegacia, onde o delegado Adriano Carrasco cumpriu o mandado de prisão que havia contra o foragido da justiça, que ainda foi indiciado pelos crimes de posse irregular de arma de fogo de uso permitido e violência doméstica.

Após os procedimentos cabíveis, Manoel, que também responde a outro processo pela prática do crime de estupro, cometido em Porto Nacional, foi encaminhado à Casa de Prisão Provisória (CPP) de Guaraí, onde permanecerá à disposição do poder judiciário.