Estado

Foto: Elizeu Oliveira

O governador Marcelo Miranda recebeu na manhã desta terça-feira, 28, o secretário executivo da Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR), Francisco Medeiros, e o executivo da Aquagen/Aquabel, Ricardo Neurkischner. Eles vieram ao Tocantins tratar com o governador sobre a viabilidade da produção da espécie de peixe chamada de tilápia e a implantação de um centro de melhoramento genético no Estado.

Marcelo Miranda disse que o Tocantins está em busca de bons parceiros e de projetos sustentáveis para o Estado. “Nós queremos que os bons projetos sejam implantados no Estado. Especialmente essa demanda que eles nos apresentaram, de certa forma, é algo novo, mas o Tocantins está de portas abertas para aprofundar nessa questão”, assegurou o governador, colocando sua equipe técnica à disposição para avançar nas discussões do projeto.

Ricardo Neurkischner explicou que o Tocantins conta com excelentes condições climáticas, localização, logística e água de boa qualidade, fatores determinantes para a implantação de um centro de melhoramento genético e de uma unidade de criação da tilápia. “A tilápia é uma mercadoria muito importante no mundo inteiro e o Estado do Tocantins reúne todas as condições para ser um dos maiores produtores da espécie no Brasil”, comentou.  Segundo ele, o centro de melhoramento idealizado deve contar com pesquisadores geneticistas de outros países, para trabalhar exclusivamente nesse centro. De acordo com ele, o centro forneceria reprodutores para suas unidades espalhadas no Brasil e também exportaria para outros países do mundo.

O presidente da Associação Brasileira da Piscicultura (PeixeBR), Francisco Medeiros, fez uma breve explanação sobre as vantagens da tilápia com relação a outras espécies de peixes. Os dados comparativos dão conta que a produção anual em um tanque-rede de 8 metros cúbicos é de 1.600 quilos, enquanto a do tambaqui, por exemplo, chega apenas a 350 quilos. Outro fator relevante citado pelo empresário foi o período de criação. A tilápia pode ser abatida com apenas seis meses, enquanto o tambaqui demora 12 meses.

O presidente do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Herbert Brito Barros, explicou que a legislação ambiental tocantinense não proíbe a criação da tilápia, desde que observadas as disposições na Resolução do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema) nº 27/2011, cabendo ao setor de licenciamento ambiental o enquadramento da espécie para o licenciamento da atividade.

Acompanharam os empresários o chefe-geral da Embrapa Pesca e Aquicultura Palmas, Carlos Magno Campos, e técnicos da empresa. Também participaram da reunião o secretário de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária, Clemente Barros; o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, Alexandro de Castro Silva; e o presidente do Naturatins, Herbert Brito Barros.

Por: Redação

Tags: Marcelo Miranda, Ricardo Neurkischner