Opinião

Foto: Divulgação Samuel Magalhães Samuel Magalhães

Sei o que você deve estar pensando: “O Samuel enlouqueceu! Que título mais absurdo o deste artigo!”. Ok, ok, concordo que o título não é lá dos mais tradicionais. Mas ao contrário do que você está pensando, não, eu não enlouqueci! Ainda não, pelo menos.

Quando falamos em economia, a primeira coisa que vem à nossa mente, de maneira até inconsciente, é a redução de gastos. Nada mais natural, afinal, para poupar é preciso fazer sobrar e uma das melhores maneiras de se fazer isso é reduzindo alguns gastos.

“Samuel, no título, você disse que para economizar é preciso gastar, agora está dizendo que é preciso poupar. Decida-se, ou um ou outro! Qual dos dois está correto?”

Os dois! Você já entenderá o motivo.

Quando eu falo que para economizar é preciso gastar, estou me referindo a gastos específicos que, apesar de representarem um custo para o orçamento doméstico, representam uma economia a médio e longo prazo para seu bolso.

Vejamos as lâmpadas, por exemplo. Uma lâmpada de LED é substancialmente mais cara que uma incandescente ou mesmo que uma fluorescente. Portanto, para trocar a iluminação da sua casa ou empresa, você terá que gastar, correto?

No entanto, além dos benefícios que você trará para o meio-ambiente por ter escolhido uma iluminação mais sustentável, você poderá ter uma redução do consumo das lâmpadas de até noventa por cento. Uma bela economia para o seu bolso, não?

O mesmo vale para nossos carros. Não temos uma cultura de prevenir, mas sim de remediar, o que faz com que só pensemos em cuidar do carro depois que não nos resta outra opção a não ser levá-lo a uma oficina.

Fazer manutenção preventiva, alinhamento, balanceamento, tudo isso representa um custo, porém um custo que irá gerar uma economia futura ao aumentar a vida útil do nosso veículo e evitar que o mesmo tenha problemas mais graves e caros para se solucionar.

Esse mesmo conceito pode ser aplicado à nossa saúde. Se você já foi à seção de alimentos orgânicos no supermercado deve ter reparado que os preços são bem superiores aos outros tipos de alimento. No entanto, por se tratarem de alimentos mais saudáveis, esse gasto a mais que estamos tendo ao comprar a feira do mês, pode nos dar alguns anos a mais de vida no futuro, sem falar na melhoria da qualidade de vida que percebemos no presente.

Quanto isso custa? Não sei! Mas de uma coisa eu tenho certeza, esse é um gasto que vale a pena se ter, afinal, saúde não tem preço!

Economizar é um dos principais pilares para uma vida financeira saudável. No entanto, como pudemos ver, algumas economias precisam de um gasto – ou investimento – inicial. Ter essa consciência é fundamental para tomar decisões financeiras corretas. Se for para economizar, não tenha pena de gastar! Bons gastos! Boa economia!

*Samuel Magalhães é Consultor especializado em Finanças e Negócios e fundador do Portal www.invistafacil.com.

Por: Samuel Magalhães

Tags: Articulistas, Samuel Magalhães