Economia

Foto: Divulgação

O último dia para sacar o abono salarial do PIS/Pasep referente ao ano-base de 2014 será nesta quinta-feira. Mesmo atravessando um momento financeiro crítico, cerca de 1,3 milhão de trabalhadores brasileiros ainda não buscaram receber o Abono Salarial do PIS/Pasep de R$ 880, valor equivalente a um salário mínimo. A região Norte é a com o menor percentual de saques, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego com 89,69% dos trabalhadores sem sacar o recurso.

Juntos, esses trabalhadores representam 6,7% dos beneficiários. “Acredito que muitas pessoas não sacaram o valor por falta de informação. Portanto, é papel de todos nós disseminarmos o tema para que aqueles que mais necessitam não percam essa oportunidade”, diz Reinaldo Domingos que é educador financeiro e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).

O abono é direcionado para trabalhadores que tenham exercido atividade remunerada durante pelo menos 30 dias em 2014 e tenham recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos neste ano, além de estarem cadastrados no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos. O prazo final para a retirada do benefício até 30/06/2016.

Quem não recebeu o valor diretamente na conta e for beneficiário do PIS, precisa comparecer em um terminal de autoatendimento da Caixa ou em uma casa lotérica com o Cartão do Cidadão e a senha cadastrada. Caso não tenha o cartão, a pessoa pode ir a qualquer agência da Caixa levando apenas um documento de identificação.

Já os beneficiários do Pasep, precisam ir a uma agência do Banco do Brasil com um documento de identificação.

Desde o início do calendário do abono salarial do ano-base 2014, foram pagos mais de R$ 18 bilhões a 22,27 milhões de trabalhadores, o que corresponde a 94,45% do total de pessoas com direito ao recurso. O recurso que não for sacado será devolvido ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Dicas de Educação Financeira

Segundo Reinaldo Domingos, em relação à utilização desse dinheiro, se não houver um planejamento com base na situação financeira, o resultado pode não ser bom. É hora, segundo ele, de praticar alguns princípios da educação financeira. Para os que estão endividados, por exemplo, o foco, segundo Reinaldo, será o pagamento das contas, pois, do contrário, poderão se tornar inadimplentes.

Para isto, segundo o educador financeiro, é importante olhar todas as contas e priorizar as essenciais, “aquelas que correspondem a serviços que podem ser cortados, como energia elétrica, água, aluguel, etc., e as quais possuem as maiores taxas de juro, como cheque especial e cartão de crédito”, orienta.

Ainda segundo Reinaldo Domingos, se esse não for o caso de quitação de dívidas, o abono pode ser usado para a realização de sonhos (individuais ou da família). “Afinal, se não houver um destino certo para esse dinheiro extra, o beneficio de valor tão expressivo será facilmente gasto com supérfluos, e não para a conquista de objetivos que realmente agregam valor à vida. Então, oriento que estabeleça pelo menos três sonhos: um de curto prazo (até um ano), um de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos) – o qual aconselho que seja a sua aposentadoria sustentável. Aproveite esta oportunidade para dar o primeiro passo rumo a uma vida de realizações e felicidades”, salienta.

Informações

O trabalhador pode obter mais informações junto a Central de Atendimento Alô Trabalho, pelo número 158, junto à Caixa pelo 0800-726-0207 e junto ao Banco do Brasil pelo 0800-729-0001. É importante lembrar que o saque do benefício depende de o empregador ter relacionado o empregado na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 2014, enviado ao Ministério do Trabalho. (Atualizada às 13h38)