Saúde

Foto: Divulgação

O município de Colinas do Tocantins registrou em 2016 o menor índice de casos de dengue para o período nos últimos nove anos. Os dados foram retirados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), do Ministério da Saúde.

De acordo com as estatísticas do Sinan foram notificados apenas 155 casos suspeitos de dengue até a 24ª Semana Epidemiológica que compreende os dias 19 a 25 de junho, muito diferente do quadro observado em 2015 quando foram registrados 333 casos. Os dados demostram uma redução de 53% no período avaliado. E se for comparado com o ano de 2012, por exemplo, onde foram registrados 1.131 notificações da doença, a redução foi de 86%.

Resultados positivos que foram obtidos graças a um trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Diretoria de Vigilância em Saúde que conseguiu articular uma política de parcerias multisetorial com o envolvimento de secretarias e órgãos públicos, como também da sociedade organizada, instituições de ensino, e em especial, com a comunidade que se sensibilizou e aderiu a ideia de que cada um tem a responsabilidade de cuidar do seu ambiente para não produzir focos e destruir os existentes. Juntos, estes atores sociais constituíram o Comitê de Enfrentamento ao Aedes Aegypti.

Entre as entidades participantes destacam-se os veículos de comunicação local; a Diretoria Regional de Ensino – DRE; o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO); Acicolinas; Polícia Militar; Corpo de Bombeiros, Secretaria de Assistência Social, Defesa Civil, Governo do Estado e outras instituições.

O diretor da Vigilância em Saúde, Altemar Dutra, que acompanha o Sinan rotineiramente, destaca ainda como responsável pelos bons índices apresentados pelo município, as parcerias da Vigilância em Saúde e Atenção Básica e o trabalho desenvolvido pelos agentes de endemias e agentes comunitários de saúde que conseguiram, visitar 100% dos imóveis por ciclo.  

Outro fator determinante que deve ser ressaltado, segundo Altemar, foi o trabalho realizado pelas escolas com seus alunos que foram mobilizados a irem para as ruas promover a conscientização da população e que usaram os conhecimentos obtidos nas atividades relacionadas à dengue em seus lares. Para o diretor, a participação de cada cidadão influenciou a mudar o cenário de desenvolvimento da doença. “Os resultados só foram possíveis porque toda sociedade deu as mãos por um único objetivo: combater o mosquito transmissor desta doença e quem ganhou com isso, foram todos os colinenses”, parabeniza o diretor.

Para o prefeito de Colinas, José Santana Neto, a queda dos números reflete também o sentimento de civismo das pessoas. ‟A dengue é um mal que pode atingir qualquer pessoa, todos nós estamos sujeitos. O trabalho feito pelos órgãos públicos e comunidade em geral surtiu efeito e é a prova de que com vontade, união e organização é possível promover melhorias ao nosso redor”.