Estado

Foto: Divulgação

O tom das negociações com o governo sobre a pauta de reivindicações do fisco estadual mudou. Uma reunião entre o presidente do Sindifiscal, Carlos Campos, o representante da Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Tocantins, José Ronaldo, e o secretário-chefe da Casa Civil, Télio Ayres, na tarde da última quarta-feira, 7, trouxe boas expectativas. O Estado demonstrou estar perto de apresentar soluções.

Segundo o secretário Télio Aires, o comandante Geral da PM, Cel Glauber de Oliveira, apresentou levantamentos à Casa Civil sobre a possibilidade de suprir a demanda de policiais para o fisco, utilizando os que estão na reserva.

Agora a Casa Civil está buscando a forma legal para implementar essa ideia, que inclusive foi dada pelo secretário Chefe da Casa Civil, Télio Aires, durante reunião com a diretoria do Sindifiscal, no último dia 29. Ele explicou que o Estado caminha para suprir  a ausência de policias nos postos fiscais, comandos volantes ou durante auditorias nas empresas.

Conforme Télio Aires, a medida terá efeito até que seja realizado o concurso para os quadros da Polícia Militar. Segundo ele, após o curso de formação, os novos militares estarão aptos a se apresentarem ao trabalho com o Fisco.

O secretário pediu o prazo de uma semana para concluir avaliações jurídicas a respeito desta alternativa, ele citou ainda que há a possibilidade de acatar o pedido do Sindifiscal de criação de um batalhão exclusivo para as demandas do Fisco.

Ainda segundo o secretário, estão sob análise os demais itens da pauta de reivindicações da categoria fiscal. Uma próxima reunião pode acontecer no dia 18 de julho.

O presidente do Sindifiscal, Carlos Campos está otimista com os rumos das negociações, uma vez que o diálogo está frutificando. “Estamos caminhando para convergir os esforços e solucionar este gravíssimo problema”, afirmou.