Geral

Foto: Divulgação

De acordo com levantamento do Sistema Integrado de Operações (SIOP) do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, entre os dias 10 de junho e 10 de julho aconteceram cinco mortes por afagamento nas praias do Tocantins. O número é preocupante se comparado ao mesmo período do ano anterior, quando ocorreu apenas uma. Entre as principais causas de morte, está o consumo de bebida alcoólica por parte dos banhistas. 

Na maior parte dos casos as vítimas eram homens com até 45 anos e haviam consumido algum tipo de bebida. Em segundo lugar na lista vítimas por afogamentos estão às crianças com até 12 anos. Os bombeiros deram inicio, na última semana, a Operação Temporada de Praias 2016, que tem como objetivo orientar e proporcionar mais segurança aos banhistas, mas alertam que o cuidado deve ser redobrado por parte dos banhistas. Ainda de acordo com SIOP somente no último fim de semana aconteceram nove ocorrências de diversas naturezas nas praias do Estado.

“Se cada um fizer sua parte o risco de morte por afogamento será bem menor. As pessoas precisam entender que nesses casos o quadro muitas vezes é irreversível. E durante a temporada os banhistas acabam deixando o cuidado em segundo plano”, explica o coordenador do SIOP, major Alex Matos.

Orientações de segurança

Para prevenir situações de riscos e afogamentos, os bombeiros estão repassando aos banhistas uma série de recomendações, vejam algumas delas:

Evite entrar na água quando ingerir bebidas alcoólicas e logo após as refeições. Não mergulhe em águas cuja profundidade seja desconhecida e nem se aventure em mergulhos solitários e à noite. Evite tomar banho e nadar onde houver valas e buracos e não simule afogamentos, além de causar pânico nas pessoas, desvia a atenção dos guarda-vidas de um possível afogamento real.

Ao levar uma criança a praia procure colocar, na mesma, uma pulseira de identificação. Reforce com a criança sobre os riscos de entrar na água sozinha e procure mantê-la sempre a vista. Toda criança deve ficar constantemente sob a supervisão de um adulto. Caso encontre alguma criança perdida, leve-a ao guarda-vidas ou outra autoridade competente.

Por: Redação

Tags: Alex Matos, Corpo de Bombeiros, SIOP