Polí­cia

Foto: Divulgação

O secretário de Estado da Segurança Pública do Tocantins, César Roberto Simoni, juntamente com o delegado-geral de Polícia Civil, em exercício, Roger Knewitz, participou da instalação do Subcomitê Integrado de Segurança Pública Goiás/Tocantins (Subcomitê de Divisas), realizada na última quinta-feira, 14, em Porangatu (GO). 

A estrutura do subcomitê será voltada para a atividade operacional, com responsabilidades de compartilhamento de informações, realização de planejamentos, análises, diagnósticos e execução de atividades integradas, que proporcionem maior capilaridade entre as forças de segurança de Goiás e Tocantins.

As ações visam, principalmente, o combate ao crime organizado, tráfico de armas e drogas, roubos a cargas e a instituições financeiras. Planejar e fortalecer ações operacionais em áreas comuns dos estados de Goiás e Tocantins integra o objetivo da iniciativa. De acordo com o vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás, José Eliton, “é preciso atacar com muita força as organizações criminosas que agem na região, como o chamado ‘novo cangaço’”, declarou.

“Este é mais um passo importante do Pacto Interestadual de Segurança Pública Integrada, firmado pelos governadores e secretários de Segurança Pública dos estados participantes do Brasil Central”, relatou José Eliton, acompanhado do titular da secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) do Tocantins, Cesar Simoni. 

Na reunião de instalação do Subcomitê Integrado de Segurança Pública Goiás/Tocantins, o secretário César Simoni falou sobre a importância do Pacto no enfrentamento à criminalidade e destacou a importância de traçar políticas estratégicas de compartilhamento de informações.

“A união dos estados e de suas forças policiais demonstram que estamos no caminho certo. Sabemos que juntos somos mais fortes e temos a certeza de que a consolidação desse pacto Interfederativo é de extrema importância para o enfrentamento das organizações criminosas”, disse. 

O delegado-geral, em exercício, Roger Knewitz, disse que ações integradas sempre alcançam melhores objetivos por serem desenvolvidas por várias forças de segurança pública. “A primeira operação integrada, que teve como alvo principal o narcotráfico, foi muito exitosa e o Tocantins alcançou excelentes resultados, o contato direto dos representantes regionais das diversas forças de segurança dos Estados durante a reunião trará resultado expressivos na segurança de nossas fronteiras”, concluiu. 

Participaram da reunião, representantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, além de outras autoridades dos dois estados. 

Pacto Interfederativo 

Na ocasião da consolidação do Pacto Interfederativo por Segurança Pública, ocorrida no início de junho, em Palmas (TO), os participantes decidiram por construir uma metodologia em que os estados pudessem compartilhar informações e conhecimentos de inteligência, investigações, análise criminal e social para então buscarem uma forma de planejamento integrado e operacionalização das forças de segurança dos entes federados participantes. 

Posteriormente, foi criado um comitê gestor em nível estratégico composto pelos secretários, comandantes e diretores das forças de segurança pactuantes. E ainda os comitês de planejamento e operações integradas e de inteligência para análise criminal e uma estrutura voltada as ações sociais conjuntas.