Economia

Foto: Divulgação

Está disponível no site www.fieto.com.br - link Estudos e Pesquisas - pesquisa especial realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) com dados sobre a percepção do empresário do Tocantins sobre o fornecimento de energia elétrica e os impactos nas indústrias. Segundo a Sondagem Industrial – Edição Especial Energia e a Indústria no Tocantins, respondida por 71 indústrias em 23 municípios, 74% das empresas que utilizam principalmente energia elétrica em seu processo produtivo sofrem com falhas no serviço de fornecimento e 45% já tiveram prejuízos decorrentes disso.

Mesmo com o índice de 45% relatando já ter tido prejuízos, a frequência das falhas no fornecimento de energia elétrica é um pouco menor entre os respondentes que utilizam este recurso como principal fonte de energia (79%): 38% disseram que em raras ocasiões ocorrem falhas nos serviços, 25% afirmaram serem eventuais estas falhas, 23% afirma que nunca acontecem e 11% consideram ser frequentes os episódios de interrupções e oscilações.

Outro fator amplamente citado é a elevação do preço da energia elétrica nos últimos 12 meses percebido por 99% dos respondentes. Um terço das empresas apontou a percepção de um aumento de cerca de 21 a 30% no valor, dado preocupante, segundo o estudo, pois esse aumento no processo produtivo é repassado para os preços dos produtos, o que diminui a competitividade das indústrias tocantinenses.

“O alto custo da energia e a qualidade do fornecimento já foram citadas em sondagens anteriores como gargalos à produtividade industrial. Essa pesquisa especial, com foco neste tema, vem reforçar como a energia elétrica impacta a indústria, até mesmo para se discutirem soluções”, explica a gerente da Unidade de Desenvolvimento Industrial, Greyce Labre.

Entre as soluções adotadas pelas indústrias pesquisadas para lidar com o aumento do custo foram apontadas a realização de ações/programas de eficiência energética (78%), investimento em auto geração (7%), substituição de fonte de energia (4%) e outras (11%).

A Sondagem Especial é elaborada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e FIETO com objetivo de avaliar o impacto de políticas ou acontecimentos específicos sobre a indústria, bem como a opinião dos empresários sobre essas questões, sem periodicidade definida. O levantamento foi feito entre 1º e 15 de outubro de 2015. 

Por: Redação

Tags: Fieto, Greyce Labre