Saúde

Foto: Nielcem Fernandes

A busca pela garantia do direito da mulher amamentar seu bebê sem preconceito, em livre demanda e em qualquer local foi demonstrada mais uma vez em Palmas, com a Hora do Mamaço, realizada pelo Banco de Leite Humano do Hospital e Maternidade Dona Regina, Núcleo Gestar Feliz e Fisiopalmas, neste sábado, 6, no Shopping Capim Dourado. Na ocasião, centenas de pessoas, entre mães, bebês, pais, familiares, profissionais da saúde e comunidade em geral mostraram seu comprometimento com a causa e manifestaram o desejo de manter a amamentação exclusiva até os seis meses e complementar até os dois anos, conforme preconiza o Ministério da Saúde.

A administradora Nayara Costa sabe muito bem o desafio de manter a amamentação exclusiva de seu bebê de dois meses. “No início foi difícil, com peito fissurado e tive bastante crítica de pessoas que diziam que meu leite era fraco e que não ia sustentar o bebê, mas ele está ganhando peso e crescendo normalmente. Meu leite é tão suficiente para ele que ele dorme a noite inteira. Para as mães que estão nesta luta inicial, o conselho é não desistir, busquem ajuda no banco de leite, pois com o passar do tempo amamentar é prazeroso e vale muito à pena”, disse.

Para a maioria das mães presentes no evento, o Banco de Leite é apontado como um grande parceiro principalmente nos primeiros dias de vida do bebê. “Fiz amamentação exclusiva até os seis meses, tive muitas dificuldades e fui ao banco de leite, onde fui muito bem recebida e me ajudaram bastante. O trabalho deles é muito interessante é deve ser o caminho de todas as mães que precisam”, conta a funcionária pública Juliana Pinheiro.

Outra mãe ajudada pelo Banco de Leite foi a psicóloga Poliana Mota que tem um bebê de quatro meses e pretende amamentar até os dois anos. “Graças a Deus para mim sempre foi tranquilo, só tive problemas na minha primeira gestação, quando tive ajuda do bando de leite do hospital Dona Regina, mas dessa vez foi super tranquilo. É uma experiência saudável para o bebê e para a mãe, que perde rápido os quilos ganhados durante a gravidez”, explicou.

O diretor executivo do Hospital Dona Regina, Eduardo Carneiro, falou sobre o trabalho da maternidade e da importância do evento para a qualidade de vida da população. “Somos um hospital com título de Amigo da Criança e dentre os requisitos necessários para ter o título é preciso promover políticas que incentivem e garantam o aleitamento materno. Neste sentido, o Agosto Dourado e a Semana Mundial de Amamentação chamam atenção para o valor que tem amamentação, pois é através dela que a criança se desenvolve, cria um sistema imunológico forte e isso é fundamental para que sja um adulto saudável também”, destacou.

A Hora do Mamaço chamou a atenção de quem passeava pelo shopping. “Achei muito interessante este movimento e quando soube a causa, fiquei muito feliz, pois a saúde de nossas crianças representa uma população mais saudável no futuro e sem dúvida é o que todos nós queremos”, afirmou o empresário Carlos Nogueira.

Dificuldades

Para algumas mães, o retorno ao trabalho acaba por atrapalhar a exclusividade da amamentação até o sexto mês, como foi o caso da nutricionista e advogada Emilene Pacheco. “Como voltei a trabalhar com quatro meses e tenho que me dividir entre duas profissões, ficou complicado manter a amamentação exclusiva, então meu bebê está tomando complemento, mas as mães que tem disponibilidade de tempo devem manter a amamentação em livre demanda até os dois anos, como é preconizado pelo Ministério da Saúde. Assim eu fiz na primeira gestação, há 15 anos, quando eu era só estudante”, relatou.

Kits

Durante o evento também foram distribuídos kits para as mães que pretendem ser doadoras do banco de leite, que está com o estoque baixo.Toda mulher com boas condições de saúde, não fumante, que não ingere bebida alcoólica, não toma medicamento controlado, que está amamentando e percebe que depois que o bebê mama ainda tem leite no peito, pode ajudar.

Para doar basta procurar o Dona Regina pessoalmente ou ligar no 0800 64 68283, para fazer um cadastro e receber um kit de doação que contêm touca, máscara descartável, gazes e frasco. O leite da doadora é coletado pelos Bombeiros Amigos do Peito.

Hora do Mamaço

Deflagrado por mulheres em 2012, a partir de uma situação em que uma mulher foi abordada sob a alegação de que ela não poderia amamentar o filho em local público, o mamaço busca reunir o maior número possível de mulheres para que em um local público amamente seus bebês ao mesmo tempo e assim chamem atenção da população para a necessidade do apoio à amamentação.

O evento faz parte da Semana Mundial do Aleitamento Materno 2016 que traz um tema amplo e que vem de encontro a atual situação do mundo: a necessidade do desenvolvimento sustentável. A abordagem leva em consideração o fato da amamentação reduzir as morbidades, mortalidade, desigualdades, violência, danos ambientais, ao mesmo tempo em que promove a vida e a saúde.