Cultura

Foto: Thiago Sá  Romaria do Senhor do Bonfim de Natividade é a maior e mais conhecida no Estado Romaria do Senhor do Bonfim de Natividade é a maior e mais conhecida no Estado
  • Em Natividade, milhares de fiéis são atraidos pelos 12 dias de romaria
  • Em Natividade o festejo é realizado há mais de dois séculos e deu origem à primeira igreja construída no povoado, em 1750
  • Romeiros, vindos de diferentes lugares, caminham longas distâncias e pagam promessas por graças recebidas
  • Fé e tradição são manifestações culturais presentes em vários eventos realizados no Tocantins, como a Romaria do Senhor do Bonfim
  • Essas manifestações possuem importância não só religiosa e cultural, como também, econômica para as regiões

Fé e tradição são manifestações culturais presentes em vários eventos realizados no Tocantins, como a Romaria do Senhor do Bonfim, em que romeiros, vindos de diferentes lugares, caminham longas distâncias e pagam promessas em agradecimento a graças recebidas. Em Natividade, os 12 dias de romaria, que finda na próxima quarta-feira, 17, atrai milhares de fiéis.

“As romarias são manifestações culturais e, por sua grande importância, estão inseridas no Calendário Cultural do Tocantins. A de Natividade é a maior e mais conhecida, mas também temos as romarias realizadas no Distrito de Bonfim, em Araguacema, e em Fortaleza do Tabocão”, explica Muriel Avelino, gerente de Patrimônio Material e Imaterial da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden).

Em Natividade, município distante 278 quilômetros de Palmas, seguindo pela rodovia BR-010, o festejo é realizado há mais de dois séculos e deu origem à primeira igreja construída no povoado, em 1750. Conta a tradição que um vaqueiro encontrou uma imagem do Senhor do Bonfim em cima de um toco de árvore e, após levá-la para Natividade, a imagem voltou a aparecer de forma inexplicável em Bonfim, nas cercanias da sede do município. Como o santo não parava na cidade, os devotos começaram a seguir a pé até o povoado, onde até hoje rezam, fazem e pagam promessas por graças alcançadas e atribuídas ao Senhor do Bonfim. Muitos percorrem centenas de quilômetros a pé ou em carrocerias de caminhões até o povoado, em agradecimento por uma graça.

É tradição que os moradores da cidade comecem a preparar os festejos e a se preparar para receber os romeiros com meses de antecedência. Geralmente pessoas mais velhas e devotas preparam o templo, lavando-o e enfeitando o altar. Como não há acomodações para os milhares de romeiros, famílias preparam alimentos e abrem suas casas para acomodar gratuitamente parentes e conhecidos. Porém, a grande maioria se acomoda em tendas armadas nos arredores da igreja e muitos aproveitam a oportunidade para aumentar a renda, vendendo alimentos e bebidas. Depois das missas, é comum os fiéis se divertirem com música e danças populares. Como diz o adágio popular: “primeiro a devoção, depois a diversão”. Os pontos altos do festejo são a Missa Campal, a homenagem a Nossa Senhora da Conceição e a Missa dos Romeiros, que este ano será celebrada no dia 17 de agosto. 

Araguacema e Tabocão

Realizada desde 1932, a romaria do Senhor do Bonfim em Araguacema, que está distante 290 quilômetros da Capital, seguindo pela rodovia TO-342,é realizada de 6 a 15 de agosto, e começou com uma história bem parecida com a de Natividade. Um morador teria encontrado uma imagem somente com o tronco de Jesus, posteriormente batizada de Jesus do Bonfim. Logo, a falta de membros na imagem teria sido relacionada a São Lázaro, que morreu de lepra e é protetor dos pobres, desvalidos e dos cães. Permaneceu o nome de Jesus do Bonfim e,  em sinal de humildade, muitos devotos levavam alimentos que dividiam com os cachorros da cidade. A Romaria também se concentra  próximo à sede do município e reúne o sagrado e o profano com rezas, missas, cumprimento de votos por graças alcançadas e muita diversão.

Já em Fortaleza do Tabocão, o festejo começou com a devoção de um morador local que construiu uma capela após alcançar uma graça atribuída ao santo. A data é móvel, e este ano a romaria começou no dia 6 e termina no próximo dia 15 de agosto. “Essas manifestações possuem importância não só religiosa e cultural, mas também econômica para essas regiões. As cidades recebem muitos visitantes e fieis durante os dias de festejos”, destaca Muriel Avelino, acrescentando que só em Natividade, a expectativa é receber cerca 90 mil pessoas.