Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato os Trabalhadores da Saúde do Estado do Tocantins (Sintras-TO) realizou a assembleia geral extraordinária na tarde dessa terça-feira, 8, para discutir, avaliar e deliberar sobre a proposta de pagamento da data-base, emitida pelo governo a diretoria do sindicato.

Após ampla discussão com explanação das opiniões dos servidores, a categoria decidiu pela suspensão do movimento paredista após a assinatura do acordo mediante algumas ponderações que devem constar neste acordo.

Entre as ponderações está em o governo esclarecer no documento o período de pagamento do retroativo da data-base 2015, garantir que não haverá nenhuma retaliação contra os servidores grevistas como: implicação administração, transferência setorial dentro da unidade, transferência setorial para fora da unidade, corte de ponto, entre outras implicações administrativas.  

Com essas deliberações os servidores irão manter a greve até a assinatura do acordo. O retorno ao trabalho só será definido após a assinatura do acordo, reforçou o Sindicato. 

Proposta do governo

Governo propõe pagar o percentual de 9,8307% da data-base de 2016 da seguinte forma:  pagar 2% do percentual em janeiro de 2017, outros 2% em maio do mesmo ano, e 5,83% somente em setembro também de 2017. 

Por: Redação

Tags: Greve, Sintras