Economia

Foto: Divulgação Foram ouvidas empresas do Tocantins na Construção Civil, Alimentos, Vestuário, Extração de Minerais não-metálicos, entre outros  Foram ouvidas empresas do Tocantins na Construção Civil, Alimentos, Vestuário, Extração de Minerais não-metálicos, entre outros

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) subiu para 53,4 pontos em outubro, o que aponta para uma melhora na confiança do empresário para os próximos meses. Já a Sondagem Industrial mostrou que a atividade produtiva e o número de empregados da indústria apresentaram queda em seus indicadores conservando-se abaixo da linha divisória de 50 pontos neste terceiro trimestre. As pesquisas são realizadas pela Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) e Confederação Nacional da Indústria (CNI) e são publicadas no site www.fieto.com.br no link Estudos e Pesquisas.

Os valores variam de zero a cem pontos. Acima de 50 pontos indicam otimismo dos empresários respondentes da pesquisa. Esta edição do ICEI ouviu 70  empresas do Tocantins em 15 setores, tais como Construção Civil, Alimentos, Vestuário, Extração de Minerais não-metálicos, entre outros. A Sondagem Industrial foi elaborada a partir de uma amostra de 54 indústrias ouvidas na primeira quinzena de outubro.

ICEI

O aumento de 6,5 pontos no indicador de condições atuais (41,2 pontos) e de 5,6 pontos no indicador de expectativas (59,2 pontos) contribuíram com este cenário de perspectivas otimistas. “Mesmo com alguns indicadores que compõem o ICEI apresentando resultados abaixo da linha de 50 pontos, todos apresentaram algum crescimento, o que demonstra uma leve retomada do otimismo do empresário que, nesta condição, tende a investir e aumentar a produção”, avalia a gerente da Unidade de Desenvolvimento Industrial, Greyce Labre.

A Sondagem Industrial revela a percepção dos empresários sobre o desempenho da produção, do emprego, dos estoques e da utilização da capacidade instalada da indústria. No 3º trimestre a produção industrial no Tocantins voltou a cair chegando a  41,1 (redução de 7 pontos) e, consequentemente, o número de empregados também reduziu para 44 (decréscimo de 2,1 pontos) no mesmo período. Com estes desempenhos, os indicadores permanecem abaixo da linha de 50 pontos, sinalizando que a produção industrial ainda está abaixo do usual, de acordo com o estudo.

O indicador de acesso ao crédito obteve um pequeno aumento neste trimestre (0,8 pontos) registrando 23,5 pontos. Contudo, ainda está bem abaixo da linha de 50 pontos, o que revela dificuldades de obtenção de crédito pelos empresários industriais. A falta ou alto custo da matéria-prima é o principal obstáculo ao desenvolvimento da indústria tocantinense no terceiro trimestre de 2016.

Sondagem Construção Civil

Em pesquisa segmentada, a Sondagem Industrial da Construção ouviu 16 indústrias que reafirmaram dificuldades do setor industrial como a inadimplência dos clientes e a elevada carga tributária, citadas por 50 % dos entrevistados no Tocantins como os maiores problemas enfrentados. O nível de produção do setor da construção civil apresentou queda de 7 pontos neste trimestre, passando de 50 para 43 pontos, assim como a produção, o número de empregados do setor da construção também caiu. No segundo trimestre o indicador era de 51 pontos e neste passou para 38 pontos.