Araguaína

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Araguaína, por meio da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (AMTT), recebeu na última quinta-feira, 8, ofício da Viação Passaredo informando que não pretendia renovar contrato emergencial de serviço público de transporte coletivo urbano de passageiros em Araguaína. 

Diante de negociação, a empresa informou que não descontinuará os serviços, mas fará diminuição no número de ônibus em circulação.

Clandestinidade

Prestadora dos serviços desde junho, a Viação Passaredo vem realizando o transporte com acúmulo de prejuízos de R$ 1,2 milhão devido à baixa demanda, causada principalmente devido à população deixar de utilizar os serviços por transportes clandestinos.

A data de vigência do contrato da Prefeitura com a viação era até dia 16 de dezembro, mas para que não haja descontinuação dos serviços, a Prefeitura vem negociando junto à empresa e definirá na próxima semana como os serviços serão realizados.  

Licitação deserta

De acordo com o presidente da AMTT, Gustavo Fidalgo, a quinta licitação do transporte coletivo já está em andamento, mas até o momento nenhuma empresa se interessa em prestar os serviços na cidade. 

“A inviabilidade na prestação dos serviços tem feito a Prefeitura ter de subsidiar parte do transporte para garantir que seja realizado”, disse.

Conscientização da população

Fidalgo ainda lembrou que a população precisa ter consciência de seu papel para que haja transporte de qualidade na cidade. “É preciso que a população entenda que deixando de usar o transporte coletivo, ela impossibilita de que os serviços continuem e benefícios como meia passagem e transporte de idosos, deficientes e doentes seja diretamente afetado”, apontou o presidente da AMTT.

Soluções

O prefeito Ronaldo Dimas vem realizando reuniões com as classes envolvidas no transporte público, com a empresa, taxistas e mototaxistas que nortearão as medidas que a Prefeitura anunciará na próxima semana para realização dos serviços.