Palmas

Foto: Divulgação Para o vereador Júnior Geo, quem acaba pagando a conta é a sociedade palmense Para o vereador Júnior Geo, quem acaba pagando a conta é a sociedade palmense

O vereador Júnior Geo (PROS), criticou na sessão desta quarta-feira, 14, na Câmara de Palmas, a gestão da Capital, comandada pelo prefeito Carlos Amastha (PSB), por não repassar recursos para a empresa Valor Ambiental, ocasionando greve dos servidores da limpeza de Palmas. "É necessários promover minimamente o respeito a sociedade porque o serviço essencial de coleta de lixo no município de Palmas, sendo este não executado adequadamente, quem acaba pagando essa conta, mais uma vez, é a sociedade palmense", afirmou. 

70% dos trabalhadores da limpeza estão em greve desde a manhã da última segunda-feira, 12, convocada pelo Sindicato Dos Trabalhadores em Empresas de Asseio, Conservação Ambiental e Publica do Estado do Tocantins (Sintecap). Segundo informações repassadas ao Conexão Tocantins do Sintecap, Maria Dalva Diogo de Souza, os funcionários estão sem trabalhar pela falta de pagamento do salário de novembro e da primeira parcela do 13°, que deveria ser paga até o dia 30 do mês passado, pela Valor Ambiental. 

A Valor Ambiental, por sua vez, empresa contratada pela Prefeitura de Palmas, informou o não recebimento de faturas emitidas contra a Prefeitura. "Sendo que, a última fatura recebida refere-se julho/2016 estando em aberto as faturas dos meses de agosto, setembro, outubro e novembro/2016 e valor parcial das faturas de janeiro e fevereiro/2016, o que ocasionou atraso do pagamento salarial de nossos funcionários referente à competência 11/2016", informou a empresa. "A ausência de repassasses aos serviços essenciais de limpeza pública da nossa capital é desrespeitosa”, reprovou o vereador Júnior Geo. 

Para o vereador Júnior Geo, não é a primeira vez que Palmas passa por esse tipo de problema quanto ao recolhimento de lixo. "A população palmense novamente paga pela má gestão porque o mesmo problema da ausência de recolhimento de lixo neste município já ocorreu no início do mandato, onde grande quantidade de lixo ficou acumulada. Na realidade é uma prática comum fazer isso quando está distante das próximas eleições", frisou. 

O vereador Lúcio Campelo (PR) questionou o destino dos recursos de Palmas. "Eu queria saber onde é que foi parar o dinheiro dessa cidade, porque o orçamento dessa cidade, de receita esse ano, passa dos R$ 900 milhões. Aonde foi parar o dinheiro dessa cidade? Não tem dinheiro para pagar a empresa que trata o lixo?", questionou. O vereador Júnior Geo completou: "É a primeira vez que vejo dinheiro evaporar. Nessa gestão o dinheiro público some e não se sabe para onde vai", disse Geo. 

Exonerações 

O vereador Júnior Geo lembrou das exonerações de servidores realizadas pelo Executivo de Palmas. Segundo o vereador, servidores do município de Palmas exonerados não receberam seus devidos direitos. "Tivemos há alguns meses algumas centenas de servidores do município sendo exonerados, sem pagamento dos seus devidos direitos. Proporcionalidade do 13° é um exemplo e nós temos previsão ainda neste mês de dezembro, da demissão de mais algumas centenas de servidores do município", informou.