Polí­cia

Foto: Ascom PF

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (15) a Operação Maginot*. A ação policial tem como objetivo apurar desvios de recursos públicos promovidos pela prefeitura municipal de Sampaio/TO. Para as fraudes, os políticos e servidores utilizam empresa de fachada. Mais de 40 Policiais Federais estão dando cumprimento a 20 ordens judiciais nas cidades de Sampaio e Augustinópolis/TO. São 11 mandados de busca e apreensão e nove, de condução coercitiva.

A investigação, iniciada em 2015, revela a existência de um esquema de desvios de recursos públicos, inclusive, federais, através de uma empresa de fachada. A empresa está registrada em nome de um servidor de Sampaio/TO, mas foi identificada, porém, como de propriedade do secretário de administração e finanças do Município, o filho do atual Prefeito.

Dessa forma, a empresa é contratada mediante fraude em licitação, geralmente, através de dispensa, para a realização de diversas obras. As obras, no entanto, são executadas pelos próprios servidores do município, caracterizando, assim, o desvio das verbas originalmente empenhadas.

As investigações já constataram que o esquema funciona desde 2013. Não se descarta, contudo, a possibilidade de que as fraudes aconteçam desde a criação da empresa, “fantasma”, em 2009. Curiosamente, o nome da construtora investigada, APS Engenharia, remete às iniciais do pai do atual prefeito de Sampaio/TO.

*A Linha Maginot (em francês: ligne Maginot) foi uma linha de fortificações e de defesa construída pela França ao longo de suas fronteiras com a Bélgica, Luxemburgo, Alemanha, Suíça e a Itália, após a primeira guerra mundial, mais precisamente entre 1930 e 1936. Considerando que o município de Sampaio/TO, faz divisa com o Estado do Maranhão, fez-se alusão ao referido marco histórico.