Campo

Foto: Divulgação

Os produtores rurais tocantinenses têm até o dia 30 de dezembro para vacinar as fêmeas bovídeas (bovinas e bubalinas), de 3 a 8 meses de idade, contra a brucelose. A declaração da vacinação deve ser realizada até o dia 10 de janeiro na Agência de Defesa Agropecuária (Adapec). Nesta segunda etapa da campanha, que iniciou no dia 1º de julho, a expectativa é vacinar cerca de 500 mil animais contra a doença. Na primeira etapa que ocorreu entre janeiro e junho, deste ano, a cobertura vacinal foi 95,11%.

Para o presidente da Adapec, Humberto Camelo, os produtores rurais estão mais conscientes da importância de vacinarem o rebanho, já que a brucelose, além de causar prejuízos econômicos, tem barreiras sanitárias impostas pelos mercados internacionais. “Na campanha do primeiro semestre batemos recorde de vacinação com o alcance de 95,11% das bezerras, nosso objetivo é continuar avançando visando à prevenção da enfermidade, que pode afetar também a saúde humana”, ressalta.  

A responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PECEBT), Carolina Silveira Ozorio Ribeiro, explica que a vacina só deverá ser aplicada por médicos veterinários da iniciativa privada e/ou seus auxiliares cadastrados no Programa, pois as vacinas são compostas por microorganismos vivos inativos. “O pecuarista deve estar atento, pois se deixar de vacinar as bezerras em idade vacinal, dentro do prazo da campanha, além de receber multa de R$ 5,32 por animal e/ou R$ 127,69 pela não declaração, obrigatoriamente, deverá executar a vacinação com a Cepa RB 51”, disse.

Novo regulamento

A Instrução Normativa nº 19, do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) apresenta novas normas, entre elas, a mudança na marcação das bezerras, as vacinadas com a Cepa B19 devem ser marcadas com o último algarismo do ano da vacinação (Ex: fêmeas vacinadas em 2016 receberão a marca 6), já as vacinadas com a Cepa RB 51 deverão ser marcadas com o “V” de vacinada. Lembrando que as marcações de ambas as vacinas são feitas no lado esquerdo da face do animal.

Brucelose

É uma doença infecto-contagiosa crônica provocada por bactérias do gênero Brucella, que afeta bovinos, bubalinos, suínos, caprinos, ovinos, equídeos e cães. Tem importância na saúde pública por ser uma zoonose, ou seja, pode passar dos animais para o homem. Os principais sintomas nos animais são: aborto no terço final da gestação, morte de bezerros recém-nascidos, nascimento de bezerros fracos, retenção de placenta, queda na produção de leite, entre outros.

Por: Redação

Tags: Adapec, Brucelose, Humberto Camêlo, campo