Educação

Foto: Luciano Ribeiro Colégio Militar de Palmas será uma das escolas contempladas Colégio Militar de Palmas será uma das escolas contempladas

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta sexta-feira, 23, a lista final das unidades escolares selecionadas pelo Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral que será implementado de 2017 a 2020. Dentre as escolas aprovadas, 12 são da rede estadual de ensino do Tocantins. Foram consideradas aptas 523 instituições nos 26 estados e no Distrito Federal, representando 266 mil novas matrículas em tempo integral no primeiro edital do programa.

Serão contempladas já em 2017, as escolas tocantinenses: Colégio Estadual Rui Barbosa (Araguaína); Cem Benjamim José de Almeida (Araguaína); Centro de Ensino Médio (CEM)  Paulo Freire (Araguaína); CEM Dona Filomena Moreira de Paula (Miracema); CEM Darcy Marinho (Tocantinópolis); CEM Bom Jesus (Gurupi); CEM Antônio Póvoa (Dianópolis); CEM Oquerlina Torres (Guaraí); CEM Presidente Castelo Branco (Colinas); Colegio Estadual Professora Joana Batista Cordeiro (Arraias); Colégio Militar de Palmas (Palmas); e Escola Estadual Madre Belém (Palmas).

As escolas do Tocantins foram selecionadas pelo MEC após a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) apresentar uma proposta pedagógica, incluindo o estudo e mapeamento das escolas candidatas. Regiões de vulnerabilidade social ou com baixos índices sociodemográficos foram priorizadas na seleção.

A gestora da Seduc, professora Wanessa Sechim, enfatiza os ganhos para os cerca de 2.700 estudantes que serão favorecidos pelo programa no Estado. “Antes de enviarmos as proposituras para o MEC, apresentamos a proposta aos diretores das escolas e diretores regionais de educação com o intuito de fazer uma ampla discussão pontuando o que ganharíamos com esse programa. Os benefícios são muitos. A proposta baseada não apenas em mais tempos de aula, mas sim, em uma visão integrada do estudante, reforçando as disciplinas do núcleo comum, como português a matemática, além da grade das disciplinas do núcleo diversificado, que juntas permitem uma formação integral dos educandos”, relata.

Recursos

Para apoiar os estados a transformarem as unidades já existentes em escolas de ensino médio em tempo integral, no início de 2017, o governo federal repassará a primeira parcela de R$ 230 milhões às unidades federativas. Os recursos para implementação do programa serão transferidos por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Conforme a MP 746/2016, o valor repassado pelo MEC será de R$ 2 mil por aluno anualmente.