Campo

Foto: Divulgação O agricultor Joaquim Teles da Conceição, de 41 anos,apostou no cultivo da soja como geração de  renda O agricultor Joaquim Teles da Conceição, de 41 anos,apostou no cultivo da soja como geração de renda

A agricultura familiar tem na diversificação da produção um fator de geração de renda. Propor alternativas para que esses pequenos produtores se tornem protagonistas no meio rural, é um dos grandes desafios da extensão rural pública tocantinense.

Nesse sentido, na região sul do Tocantins, no município de Figueirópolis, a 278 km de Palmas, o Ruraltins vem incentivando o plantio de soja, possibilitando a entrada de agricultores familiares num segmento do agronegócio, que há bem pouco tempo, era considerado para grandes produtores.

Joaquim Teles da Conceição, de 41 anos, morador do Projeto de Assentamento Renascer, é um desses produtores, que além de criar pequenos animais e cultivar milho, apostou na produção de soja em sua propriedade. Com uma  área plantada de 57 hectares, espera colher no próximo mês de março, 50 sacas por hectare. “Há três anos moro com minha família no assentamento. No inicio plantávamos algumas culturas para nossa subsistência, e aos poucos, com o auxilio dos técnicos do Ruraltins, resolvi investir na soja. Os cuidados do plantio até a colheita são muitos, mas consegui me firmar e estou satisfeito com o negócio. Hoje, toda produção tem destino certo, pois tenho facilidade de comercialização junto às indústrias interessadas na aquisição da matéria prima”, disse.

O acompanhamento do produtor é feito pelos extensionistas João Israel Piovesan e Gessismar Silvestre Alves, do escritório local do Ruraltins, em Figueirópolis. Segundo Gessimar Silvestre a cultura da soja tem se mostrado viável para a agricultura familiar, que tem uma importância significativa na região.

“A oportunidade que o agricultor tem quando planta a soja é bem interessante, pois ele se insere num mercado altamente remunerador e passa a ser reconhecido pelo seu dinamismo, servindo de exemplo para outros agricultores. A prática exige empenho, como todas as outras, mas seguindo as recomendações técnicas relacionadas ao manejo do solo, o controle de pragas e doenças, bem como o uso de tecnologias aplicadas a cultura, o agricultor  alcança bons resultados. Aqui no município, a presença dos pequenos produtores é bem significativa. São quatro projetos de assentamentos, só no PA Renascer são 72 famílias morando no local, que  aos poucos vão se inserindo em novos mercados”,  avalia o técnico.

Além do senhor Joaquim, mais três agricultores familiares de Figueirópolis  produzem o grão, somando 240 hectares de soja plantados.  O Ruraltins  orienta não só as atividades de produção, mas também propicia o acesso a financiamentos para o custeio, por meio da elaboração de projetos de crédito rural, destinados as linhas do Programa Nacional da Agricultura Familiar ( Pronaf).