Polí­cia

Foto: Divulgação

Condenado a 12 anos e 6 meses de reclusão em regime fechado, pelo assassinato de Hebert Resende, Frederico Gayer Machado de Araújo, terá que cumprir pena no Estado de Goiás, de acordo com decisão da juíza Raquel Rocha Lemos, da 1ª Vara de Execução Penal, Comarca de Goiânia/GO. Frederico Gayer é filho da ex-delegada e ex-deputada estadual por Goiás, Conceição Gayer, já falecida, e, teria recentemente, depois de sua condenação, divorciado da deputada estadual tocantinense, Luana Ribeiro (PDT). 

Frederico Gayer está recolhido na Cadeia Pública de Bernardo Sayão/TO desde 24 de novembro e terá que ser recambiado para a Penitenciária Odenir Guimarães (POG), antigo Cepaigo, em Aparecida de Goiânia, no prazo de 30 dias. A decisão é do último dia 14 de fevereiro. O recambiamento foi determinado pela magistrada à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária de Goiás (SEAP-GO). 

O advogado do reeducando, Rogério Leal, chegou a requerer junto à 13ª Vara Criminal da Comarca de Goiânia/GO, a transferência do condenado para a Comarca de Colinas do Tocantins, visando o cumprimento da pena na cidade. Dos fatos alegados, o advogado informou na oportunidade que a família de Frederico Gayer teria residência fixa na cidade de Colinas do Tocantins, parentes e amigos próximos, entre outros. 

O juiz da Vara Criminal de Colinas do Tocantins, Océlio Nobre da Silva, por sua vez, encaminhou ofício no dia 22 de novembro para a 1ª Vara de Execuções Penais em Goiânia/GO, informando a prisão de Gayer e ainda, que haveria vaga na Comarca de Colinas para que Frederico cumprisse a pena.

Instado pelo juízo, sobre o pedido da defesa do reeducando, o representante ministerial no processo manifestou-se pelo indeferimento do pedido.

Já a juíza Raquel Rocha, em sua decisão, afirmou que, para a transferência do local de execução da pena, é necessária a comprovação, por parte do sentenciado, de vínculo com a localidade onde se deseja cumprir a pena. Segundo a juíza, a defesa de Frederico Gayer não apresentou documentação suficiente. "Contudo, o reeducando não apresentou documentação suficiente a comprovar a existência de qualquer vínculo com a Comarca de Colinas do Tocantins, o que inviabiliza a transferência... Ato contínuo oficie-se à SEAP determinando o recambiamento do sentenciado", informa a magistrada em sua decisão. 

Crime 

Segundo o que ficou apurado no inquérito, na madrugada de 5 de abril de 1997, na porta da boate Draft, no Setor Oeste, em Goiânia/GO, há 19 anos, Frederico Gayer atirou na barriga da vítima por motivo fútil, após uma discussão por causa de uma troca de fichas de consumo dos dois, por engano, pelo responsável pelo caixa da boate. O crime ocorreu mesmo após o mal entendido ter sido resolvido pela boate. Segundo consta nos autos do inquérito, Gayer esperou Herbert Resende do lado de fora da boate e, após trocar algumas palavras com a vítima, o empurrou e lhe deu um tiro em seguida. Confira aqui a versão da viúva da vítima e a aqui a versão da defesa de Gayer. (Saiba mais