Polí­tica

Foto: Divulgação

A senadora tocantinense Kátia Abreu (PMDB) usou sua conta no Twitter nesta segunda-feira, 20, para compartilhar, entre outras coisas, uma matéria publicada no site de notícias UOL, na coluna do jornalista Josias de Souza, no qual o jornalista relata um episódio  em que o atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio, teria ido ao gabinete da então ministra da Agricultura, cargo que Kátia ocupou no Governo Dilma Rousseff (PT), para tentar impedir a demissão de Daniel Gonçalves Filho do comando da superintendência do Ministério da Agricultura no Paraná.

Daniel foi preso pela Polícia Federal na última sexta-­feira, 17, na Operação Carne Fraca. A operação investiga pagamento de propina a fiscais agropecuários por parte de grandes frigoríficos, em troca de “fechar os olhos” para a fiscalização.

Ao compartilhar a matéria, que detalha a postura do então deputado federal (hoje ministro) Serraglio de “ferrenho protetor político” de Daniel Gonçalves, a senadora utilizou a seguinte legenda: “Infelizmente essa matéria está correta”, e compartilhou o texto, com link para a página do Blog do Josias.

Nesta terça, 21, a assessoria de imprensa da senadora informou que ela fará, a partir das 14 horas, pronunciamento na tribuna do Senado Federal sobre as investigações da Operação Carne Fraca. “A senadora Kátia Abreu já está inscrita na ordem do dia dos pronunciamentos no Senado, devendo ocorrer entre 14 horas e 14h30. O pronunciamento é aguardado em função das ações da senadora tanto na CNA [Confederação Nacional da Agricultura] quanto no Ministério da Agricultura e o trabalho que realizou para a abertura de mercados internacionais à carne brasileira”, diz a assessoria.

Ao longo do dia de ontem a senadora compartilhou em sua conta no Twitter diversos links de matérias com críticas à condução das investigações e ao “show midiático” em torno desta. Também compartilhou imagem dizendo que confia na carne brasileira.

Ministro da Justiça

O foco da matéria é a atuação do atual ministro da Justiça em defesa daquele que seria um dos principais responsáveis pelas irregularidades apuradas na operação da Polícia Federal. Destaca-se aqui o episódio que trata da senadora tocantinense. “O blog apurou que Serraglio pegou em lanças para tentar impedir que o “grande chefe”, como se referia a Daniel Gonçalves Filho, fosse afastado do comando da superintendência do Ministério da Agricultura no Paraná. Última titular da pasta da Agricultura na gestão de Dilma Rousseff, a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) recebeu Serraglio em seu gabinete no ano passado, antes do impeachment da ex-presidente petista. O visitante estava acompanhado do deputado Sérgio Souza (PMDB-PR), outro anteparo político do fiscal da Carne Fraca”, diz o jornalista.

Na ocasião, segundo descreve a matéria, Kátia Abreu informou que recebera da Consultoria Jurídica do Ministério da Agricultura uma recomendação para suspender Daniel Gonçalves cargo e explicou que o afastamento ocorreria como resultado de um Processo Disciplinar Administrativo. “Inconformado, Serraglio pediu à então ministra de Dilma uma cópia do processo. Embora o pedido fosse inusual, foi atendido. Mesmo depois de folhear o processo, Serraglio não se deu por achado. Insistiu para que Kátia Abreu mantivesse Daniel Gonçalves no comando da representação da Agricultura no Paraná”, aponta.

Por sua vez, a então ministra decidiu acatar a recomendação da Consultoria Jurídica e afastou Daniel Gonçalves.

Confira aqui a íntegra do texto publicado pelo jornalista Josias de Souza.