Educação

Foto: Tharson Lopes Jovens conversam sobre como transformar a sociedade onde vivem Jovens conversam sobre como transformar a sociedade onde vivem

A Comunidade Báhá’í de Palmas está realizando no Colégio Estadual São José, em Palmas, o Programa Bahá’í de Empoderamento de Pré-jovens, com a finalidade de desenvolver capacidades intelectuais, virtudes, qualidades espirituais e capacidades para o serviço à sociedade.

A participação dos jovens é voluntária. As atividades do grupo exploram temas atuais sob uma perspectiva bahá’í, não tem o objetivo de promover instrução religiosa. No grupo há reflexões sobre a situação do bairro onde os jovens residem, do potencial da juventude e sua capacidade para intervir na comunidade.

Como atividade prática, os jovens promoveram uma apresentação sobre valores humanos na feira da Quadra 1106 Sul. “Criamos uma ação para refletir sobre o preconceito e ficamos observando a reação das pessoas que estavam na feira. Foi muito legal”, disse a estudante Nayara Bento da Luz, 15 anos, aluna do 8º ano do ensino fundamental.

“Aprendemos a importância de respeitar as pessoas e valorizar as diferenças. Também gostei de nossa apresentação”, frisou o aluno Renato Oliveira da Silva, 15 anos, do 9º ano do ensino fundamental. Para realizar o ato de serviço na feira, os jovens escolheram o tema, o texto e a forma de apresentá-lo.

Coordenam as atividades na Escola São José o professor Alex Cabon, um conferencista que atua na área de gestão de pessoas. “O nosso intuito é ajudar a desenvolver capacidades para servir à comunidade, por meio do estudo, da ação e da reflexão”, afirmou.

No decorrer da execução do projeto, os jovens se envolverão em atividades artísticas, jogos cooperativos, contação de histórias e atos de serviço comunitário, com o propósito de atuar no empoderamento e na transformação individual, que contribuem para o avanço da sociedade. Também será estimulada a prática do lazer saudável.

Os interessados em fazer parte do projeto podem procurar a gestão da escola. As atividades acontecem fora do horário das aulas. O diretor José Antônio Aguiar Gama explicou que a parceria entre escolas, organizações não governamentais e entidades auxilia no processo de construção da cidadania. “São ações positivas para desenvolver nos alunos habilidades de empreendedorismo e o protagonismo juvenil”, frisou.