Araguaína

Foto: Marcos Filho

Mais de 57 estabelecimentos comerciais, nas proximidades do Mercado Municipal, estão recebendo técnicos da Prefeitura de Araguaína desde a última semana. O principal objetivo é realizar uma pesquisa para conhecer o empresariado, como geração de emprego e renda e quais produtos eles vendem, no sentido de organizar o comercio na região, que fica no centro da cidade.

O comerciante no ramo de supermercados, Cleomar Guimarães, contou que já houve avanços na região do mercado como poda de árvores para dar mais visibilidade e asfalto. “Com os questionários podemos contribuir colocando nossos anseios e esperamos que outras ações possam ser realizadas. Vejo que a pesquisa é muito positiva e todos nós iremos ganhar, comerciantes e população que encontrará um comércio mais organizado na hora das compras”, disse.

A pesquisa

O questionário conta com quatro itens: dados cadastrais, atividades econômicas desenvolvidas, qual o porte da empresa e informações gerais do negócio. Nos subitens, o comerciante poderá especificar, por exemplo, qual o mercado consumidor que ele atinge e se houve ampliação do espaço nos últimos anos.

“Esse formulário de pesquisa cadastral que estamos utilizando para mapear o comércio interno e externo no Mercado Municipal é de relevância para o conhecimento da região.  Outro fator importante é a entrada e saída de produtos, se são oriundos de outras cidades e se os comércios estão cadastrados na Sala do Empreendedor”, explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Júnior Marzola.

O secretário acrescentou que com a pesquisa será possível realizar um planejamento de melhorias na logística em torno do mercado. “Além dos arredores, vamos melhorar também a estrutura do Mercado, organizando melhor e ordenando todos os comerciantes a fim de que possamos ter um ponto turístico municipal, dentro do projeto de Turismo do Município”, frisou.

MEI

Para os comerciantes que não são formalizados, com a pesquisa a Prefeitura pretende cadastrar esses profissionais e fazer com que se tornem microempreendedores individuais (MEI). Em Araguaína, são 7.800 profissionais que atuam como MEIs, em diversas áreas.

O MEI legaliza pessoas que trabalham por conta própria e que faturam no máximo R$ 60.000 por mês. O microempreendedor tem mais facilidade em abertura de contas bancárias, pedidos de empréstimos e contribuição com a Previdência Social.