Educação

Foto: Juliana Carneiro Educadora Rosemari destacou a interação entre professores brasileiros que estão no evento Educadora Rosemari destacou a interação entre professores brasileiros que estão no evento

Este ano, o Tocantins terá quatro educadores representando o Estado na formação do Programa Missão Pedagógica no Parlamento, que acontecerá no período de 26 a 30 de junho, em Brasília/DF. Vão representar o Tocantins, as professoras Maria Brandão Aguiar da Fonseca e Meire Lúcia de Souza Bastos, do Colégio Estadual Adolfo Bezerra de Menezes, em Araguaína; Rosemari Elizabeth Dunk Oliveira, coordenadora pedagógica do Centro de Ensino Médio Castro Alves e Maria José Souza Uchôa, da Escola Estadual Almeida Sardinha, de Itacajá.

O programa Missão Pedagógica no Parlamento é uma iniciativa da Câmara dos Deputados em contribuir com uma capacitação em educação para a democracia destinada a professores, orientadores pedagógicos e coordenadores pedagógicos que atuam em escolas do ensino fundamental e médio. Foram selecionados 54 educadores brasileiros.

Durante a semana de estudos em Brasília, os educadores irão abordar temas ligados a educação para a democracia nas escolas, sobre as instituições democráticas e conhecer como funciona o parlamento. Após essa semana de capacitação presencial, os participantes irão elaborar um projeto com a temática democracia e desenvolver na escola onde trabalham.

Para participar da formação presencial do Programa Missão Pedagógica no Parlamento, os educadores passaram por um processo seletivo e participaram do curso ‘Educação para a Democracia e o Parlamento’ realizado na modalidade a distância, com carga horária de 30 horas.

Em busca de novas aprendizagens

A professora Maria José Uchôa disse que optou em participar do Programa Missão Pedagógica como forma de renovar o conhecimento. “Desejo inovar minha prática pedagógica, com a finalidade de ajudar na educação dos nossos alunos. Também desejo conhecer a realidade de outros estados e me chamou a atenção o tema cidadania, algo que precisamos refletir nesse atual contexto que estamos vivendo no país”, explicou.

A professora Maria Brandão atua na escola, com a educação especial e sua proposta de trabalho inicial é pensar na cidadania e na democracia como oportunidades para a inclusão dos alunos que apresentam diversas necessidades educacionais.

A coordenadora pedagógica Rosemari do Cem Castro Alves, destacou a troca de experiências que está ocorrendo com os professores que estarão na formação, por meio das redes sociais. “São pessoas que não conhecíamos, e agora, parecem tão próximas”.

 “A escola é um laboratório vivo, onde visualizamos as diversas necessidades sociais e culturais”, disse. Rosemari destacou o quanto se aprende nesse laboratório chamado escola. “Trabalhamos com jovens no ensino médio que estão numa fase de transição entre o estudo, trabalho e a formação técnica”, contou.

Rosemari revelou que está pensando em desenvolver seu projeto de ação, envolvendo a história da Quadra 305 Norte. “Há moradores que estão aqui, desde o início da formação da quadra, que acompanharam o processo de invasão, o incêndio que aqui ocorreu. A ideia é promover uma interação entre essas pessoas que participaram da história da região com os alunos”, comentou. Após a formação, é que os educadores irão definir seus projetos de ação que serão desenvolvidos nas escolas.