Saúde

Foto: Marcos Filho A estrutura tem um dormitório masculino com capacidade para 24 internos e um feminino para oito internas A estrutura tem um dormitório masculino com capacidade para 24 internos e um feminino para oito internas

O Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS/AD III) de Araguaína já está funcionando 24 horas. Dependentes químicos de Araguaína têm disponibilizadas 16 vagas por mês, sendo que o tratamento integral de desintoxicação é de 14 dias. 

De acordo com o coordenador do CAPS/AD, Klaubher Feitosa, o tratamento 24 horas na unidade é um anseio da comunidade. “As famílias ficam ansiosas, querem que eles retomem logo à vida normal. Muitos precisam passar pela desintoxicação e só com o acompanhamento de 24 horas é possível. O centro atende dependentes químicos através do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo que o principal objetivo é a reinserção social”, frisou.

Os pacientes no período noturno podem se acomodar nos oito leitos que são disponibilizados. São acompanhados por uma enfermeira e uma técnica em enfermagem. Além deles, ficam no local guarda e assistente administrativo.

Durante o dia participam dos atendimentos com profissionais de psicologia, psiquiatria, pedagogia, assistência social e realizam oficinas e atividades terapêuticas. Estão cadastrados no CAPS/AD 1.449 pacientes, sendo 202 assíduos. Por dia, cerca de 30 pacientes frequentam a unidade. 

Drogas e internações

O coordenador destacou que de a cada 10 pacientes que chegam no centro, sete são dependentes de álcool, o que corresponde a 67% das internações. O álcool representa o principal problema de saúde, seguido da maconha 18%, crack 8% e outras drogas 3%.

Mais atendimentos

O primeiro Centro de Acolhimento Municipal para Tratamento de Dependentes Químicos de Araguaína ampliará ainda mais os atendimentos aos dependentes químicos na cidade. Com 83% já construídos, a obra está na fase de acabamento e a Prefeitura já iniciou a compra dos equipamentos que serão instalados no local para o acolhimento e desenvolvimento dos trabalhos e ações voltados para a recuperação dessas pessoas.

A estrutura terá um dormitório masculino com capacidade para 24 internos e um feminino para oito internas, além de refeitório, quiosques, recepção e salas de convivências e médicas.