Campo

Foto: Divulgação

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) publicou por meio da Portaria nº 246/2017, de 28 de setembro de 2017, a retirada do município de Cariri do Tocantins da área de foco da doença Mormo, e também Gurupi, como área limítrofe ao foco, após a conclusão do saneamento feito pela Agência nas propriedades onde ocorreram os casos da doença naquele município.

Segundo a portaria, ficam autorizados, os eventos com aglomeração de equídeos no município de Cariri do Tocantins que possam ser fiscalizados pela Adapec, após vistoria dos técnicos responsáveis. Para o trânsito de equídeos, são exigidos, além da Guia de Trânsito Animal – GTA, exames negativos e atualizados de Mormo e Anemia Equina – AIE, bem como a comprovação de vacinação e/ou laudo contra a Influenza equina.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo disse que a edição da portaria demonstra o compromisso e a seriedade do trabalho de saneamento realizado pelo órgão para o controle e erradicação da doença no Tocantins. “A Adapec realizou todas as ações de defesa sanitária, conforme prevê a legislação para controlarmos a doença e proteger o nosso rebanho de equídeos, e após recebermos os resultados negativos dos últimos exames, estamos retirando o município de Cariri da área de foco do Mormo, e também Gurupi, município limítrofe à região onde houve os focos da doença”, destacou Humberto, acrescentado que nos municípios onde houver determinação judicial prevalecerá as disposições daquele juízo.

A diretora de Defesa, Inspeção e Sanidade Animal, Regina Barbosa, explicou que o saneamento faz parte das medidas de erradicação da doença do Mormo, e que todos os municípios focos devem ser submetidos. “O saneamento é a principal forma de controle do Mormo, e este processo é demorado, porque são realizados dois exames sucessivos de todo o plantel, com intervalos entre 45 e 90 dias, e os resultados devem ser negativos, caso haja algum positivo, deve-se repetir os exames e cumprir o mesmo”, explicou Regina.

O Mormo foi detectado no município de Cariri em 2016, com a confirmação de três casos, e em 2017, foi registrado mais um, totalizando quatro casos. Já o município de Gurupi, embora não houve casos, foi incluído nas medidas restritivas por segurança sanitária.

A portaria de proibição de aglomeração de equídeos continuam valendo para os municípios onde houveram focos: Formoso do Araguaia, Sandolândia e Palmeirante e nos municípios limítrofes, Dueré, Figueirópolis, Araguaçu, Lagoa da Confusão, Colinas do Tocantins, Tupiratins, Nova Olinda e Brasilândia.