Estado

Foto: Divulgação

A presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (FAET), senadora Kátia Abreu (PMDB) encaminhou ofício ao Governo do Estado, questionando a utilização da perfuratriz entregue à Agência Tocantinense de Saneamento (ATS).

A presidente ressalta que, ainda durante sua gestão no Ministério da Agricultura, foram adquiridas 4 (quatro) perfuratrizes para a construção de poços artesianos na região do Matopiba, sendo que 1 (uma) dessas foi encaminhada para Superintendência Federal da Agricultura (SFA), que repassou para o Governo do Estado. “Elas foram licitadas em 2015, entregue para SFA em 2016 e repassada para a ATS, em março, durante a abertura oficial da Agrotins”, disse.

A senadora afirma que esta semana teve a notícia de que a máquina estaria parada, “afinal por onde anda essa perfuratriz? Quais são os critérios para os produtores serem atendidos pelos programas da ATS que utilizam a perfuratriz? Quantos poços artesianos foram perfurados? Nossos produtores rurais sofrem anualmente com a seca e estão desassistidos, vale lembrar que cada perfuratriz é capaz de cavar aproximadamente cinco poços por semana, se estivesse sendo utilizada a realidade de nossos produtores seria outra’, cobrou Kátia Abreu.

A senador lembra que a falta de água é um dos principais problemas do Estado e principalmente neste ano de 2017, “nossos produtores têm sofrido muito com a falta das chuvas, e a utilização dessa perfuratriz seria de fundamental importância no combate à seca”, disse a senadora.