Meio Ambiente

Foto: Divulgação

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) através da Superintendência de Gestão Ambiental assinou nesta última sexta-feira, 1º de dezembro, um Termo de Cooperação Técnica com a Associação Indígena Nrõzawi, da Aldeia Porteira, etnia Xerente, localizada no município de Tocantínia. A Cooperação Técnica será no sentido de auxiliar os indígenas na construção de um viveiro de mudas nativas e frutíferas, além da construção da Casa da Cultura, que irá contribuir para o fortalecimento organizacional daquela aldeia.

Com a execução do projeto, os Xerentes têm como objetivo utilizar as mudas na recuperação das nascentes e áreas degradadas. Na Casa de Cultura irão promover ações como reuniões de interesse da classe indígena, dentre outras atividades. A Casa de cultura também faz parte de um sonho antigo dos indígenas.

Para o superintendente de Gestão Ambiental, Natal Cesar Alves de Castro, o Termo de Cooperação Técnica tem grande relevância tanto para os indígenas, quanto para o Naturatins, visto que o objetivo primordial é ceder servidores do órgão para auxiliar na construção de projetos indígenas, que visam desenvolver ações ambientais e culturais.

“Já tivemos um avanço muito grande, visto que o projeto desta Associação, recebeu a contribuição do servidor Rodrigo Casado. O projeto já captou recursos de cerca de R$ 180 mil, para desenvolver ações culturais e ambientais. O Naturatins se colocou à disposição para colaborar com este projeto e outros que virão também de outras aldeias. Aproveito para parabenizar os indígenas dessa comunidade que nos recebeu muito bem e a todos os envolvidos no projeto, enfatizou Natal Cesar.

Devanir Xerente, presidente da Associação Indígena, Nrõzawi informou que após a manifestação de interesse, quando a Associação participou do edital Dedicated Grant Mechanism (Mecanismo de Doação Dedicada do Fundo Internacional de Florestas – DGM / FIP Brasil), e foi contemplada, a assinatura do Termo de Cooperação Técnica com o Naturatins veio favorecer ainda mais a comunidade Xerente.

 Meio ambiente

“Na aldeia somos 486 famílias, esse viveiro de mudas representa o futuro da nossa aldeia. Porque ao executar este projeto, vamos proteger o meio ambiente. E isso para nós é o primeiro passo, uma luta que irá resultar na melhoria da qualidade de vida para as nossas crianças, jovens e anciões, no sentido de sabermos valorizar ainda mais o meio ambiente e sermos todos defensores da natureza, contribuindo assim para garantia do nosso futuro”, argumentou.

O superintendente do Naturatins explicou que o presidente da Associação Indígena Nrõzawi, Devanir Xerente, quer estender o projeto a outras aldeias, para servir de exemplo, para que outros caciques e outras associações busquem também a elaboração de projetos que venham beneficiar suas associações indígenas no quesito cultural e ambiental.

O historiador e educador ambiental, Rodrigo Casado, ressalta que o Termo de Cooperação Técnica assinado entre o Naturatins e a Associação Indígena Nrõzawi será executado em função das necessidades dos indígenas. Ele conta que a elaboração deste projeto foi um processo de escuta, ocasião que os indígenas manifestaram suas necessidades, antes de iniciar qualquer tratativa ou de escrita de um projeto.  “Ao participar da assinatura deste Termo de Compromisso, observo que trabalho num órgão que valoriza as comunidades tradicionais como os quilombolas e povos indígenas e seus projetos de gestão ambiental”.

Além do Naturatins são parceiros deste projeto o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO), Funai e Prefeitura de Tocantínia.