Polí­cia

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria de Justiça de Formoso do Araguaia e do Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (GECEP), ajuizou na tarde desta terça-feira, 9, pedido para que seja decretada a suspensão do exercício das funções de patrulhamento ostensivo dos quatro policiais militares envolvidos no homicídio de Wilque Romano da Silva. O crime aconteceu no último dia 3, na cidade de Formoso do Araguaia.

O MPE entende que os policiais Hick B. de A., Rafael M. D., Leandro M. de C. e Aldaires M. da S. devem ser afastados das funções de patrulhamento ostensivo, vinculação administrativa a grupo ou lotação em força especial da PM enquanto durar a investigação criminal, que tem o prazo de 180 dias para ser concluída. Os policiais devem ser remanejados para exercício de atividades de caráter administrativo.

“No caso em questão, é adequada e necessária a aplicação de medida cautelar diversa da prisão, levando-se em consideração a natureza dos possíveis crimes, as circunstâncias dos fatos, forma de execução, disparo de arma de fogo pelas costas da vítima, condições pessoais dos investigados, bem como para evitar a prática de novas infrações”, expuseram os promotores de Justiça no pedido.

Aliado a isso, em complemento às diligências policiais, o MPE já requereu a apreensão das armas de fogo portadas e acauteladas pelos policiais militares que estavam na ação e a realização de exame pericial de confronto balístico entre as armas aprendidas e o fragmento retirado do corpo da vítima.

Acompanham o caso o promotor de Justiça de Formoso do Araguaia, Rui Gomes Pereira da Silva Neto, e o membro do GECEP, promotor de Justiça, Francisco Brandes Júnior.

Entenda o caso

No último dia 3 de janeiro, os referidos policiais integrantes da Força Tática, por volta das 18h30, na cidade de Formoso do Araguaia, abordaram a vítima, que estava na condução de uma motocicleta. Conforme alegam os policiais, o jovem estava empinando a moto em via pública e portava arma de fogo. Após suposta perseguição da força policial, Wilque foi atingido por disparo de arma de fogo que resultou em sua morte, conforme boletim policial e laudo do exame de corpo de delito.