Saúde

Foto: Divulgação Pesquisa visa que os próprios mosquitos transmissores possam disseminar o larvicida Pyriproxyfen Pesquisa visa que os próprios mosquitos transmissores possam disseminar o larvicida Pyriproxyfen
  • Mais de 90 profissionais da Secretaria da Saúde de Porto Nacional e da Secretaria Estadual da Saúde estão envolvidos

Pesquisa desenvolvida pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz de Manaus) e o Ministério da Saúde (MS) está sendo aplicada em Porto Nacional, para que os próprios mosquitos transmissores dos vírus zika, dengue, chikungunya e febre amarela possam atuar no controle de surtos epidêmicos, disseminando eles próprios, o larvicida Pyriproxyfen em criadouros aquáticos. Mais de 90 profissionais da Secretaria da Saúde de Porto Nacional e da Secretaria Estadual da Saúde (SESAU) estão envolvidos diretamente na estratégia.

O projeto teve início no município, no ano passado, e até o próximo dia 2 de fevereiro, os agentes de endemias passam por treinamentos.

Técnicos e pesquisadores da Fiocruz de Manaus estão relatando e passando aos agentes, os bons resultados da pesquisa, “utilizando as estações disseminadoras, esperando obter aqui em Porto, os bons números de Manacapuru, cidade amazonense, onde foi testada a pesquisa inicialmente com muito sucesso”, diz a a secretária da Saúde de Porto Nacional, Anna Crystina Bezerra.

Para o prefeito de Porto Nacional, Joaquim Maia, a estratégia pode tornar-se uma importante ferramenta para melhorar a saúde pública, sinalizando novos caminhos na prevenção de doenças transmitidas por mosquitos. “No Tocantins, temos várias endemias e muito campo para desenvolver pesquisas importantes que nos ajudarão, num futuro próximo, a erradicar essas doenças que tanto maltratam nossa gente”, acredita o prefeito.