Economia

Foto: Divulgação

A Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) divulgou nesta terça-feira, 30/01, no Portal Fieto, link Estudos e Pesquisas a última Sondagem Industrial e da Construção Civil de 2017, além do Índice de Confiança do Empresário da Indústria (ICEI) referente a janeiro deste ano.  As pesquisas revelam um desaquecimento na atividade produtiva, o otimismo dos empresários e os principais entraves e melhorias neste período nas empresas. Os estudos são feitos em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A Sondagem Industrial é referente ao 4º trimestre de 2017 e mostra que o mês de dezembro apontou um desaquecimento na produção industrial. O número de empregados no período estagnou e os índices de evolução da produção, apesar de revelarem um crescimento em relação ao trimestre anterior, permaneceram abaixo das expectativas. Os índices de Evolução dos Estoques tiveram desempenho considerado positivo, mas continuam abaixo do planejado.

No setor financeiro, os empresários permanecem insatisfeitos e aponta que o Lucro Operacional está abaixo do esperado. Apesar de uma trajetória de crescimento ao longo de 2017, a dificuldade de Acesso ao Crédito ainda é apontada como um dos principais gargalos para a melhora na situação financeira das indústrias e os números ainda estão distantes de serem considerados satisfatórios. A Elevada Carga Tributária continua sendo o principal problema dos empresários, seguida pela Falta ou Alto Custo de Energia e Competição Desleal.

Ao falar de expectativas para janeiro de 2018 os empresários entrevistados mostram-se otimistas. As empresas esperam uma melhora em relação a demanda por seus produtos, compra de matéria-prima e números de empregados. O indicador de expectativa de demanda que era de 52 pontos no trimestre anterior, aumentou para 59 neste trimestre. A intenção de investimento também aumentou e os empresários esperam um aquecimento nas atividades produtivas no período.

A gerente da Unidade de Desenvolvimento da Fieto, Amanda Barbosa, destaca que, apesar dos números negativos, o empresário está confiante. "Embora continuem insatisfeitos com a situação financeira e com o nível de produção abaixo do desejado, os empresários seguem confiantes. Em janeiro deste ano, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) apontou maior indicador no último ano. Eles estão otimistas para os próximos meses, aumentaram a intenção de investimento na indústria, o que sugere uma recuperação da indústria tocantinense", observou.

Construção Civil

No 4º trimestre de 2017 o setor da construção civil apresentou baixa em grande parte dos indicadores. A insatisfação dos empresários continua e as expectativas para 2018 seguem em queda. O Nível de Produção, a Utilização da Capacidade de Operação (UCO) e o Número de Empregados também sofreram baixas. Os principais problemas apontados são a Elevada Carga Tributária, a Taxa de Juros Elevada e Inadimplência dos Clientes. Como consequência da queda na maioria dos índices o empresário mostrou-se menos confiante para fazer investimentos.

Índice de Confiança

O empresário tocantinense segue confiante em 2018. Os indicadores desse otimismo apresentam uma trajetória de crescimento desde julho de 2017. Este mês, o indicador de confiança registrou 56,2 pontos, um aumento de 2,9 pontos comparado a outubro do ano passado. O Índice de Expectativa passou de 56,6 pontos para 61, 1 neste primeiro mês do ano revelando maior intenção de investimento nos próximos meses.