Polí­tica

Foto: Divulgação Ainda é preciso resolver problemas para fortalecer ainda mais o agronegócio brasileiro Ainda é preciso resolver problemas para fortalecer ainda mais o agronegócio brasileiro

O deputado federal Lázaro Botelho (PP) é um dos oito membros da Comissão Externa criada pela Câmara dos Deputados para verificar as causas do endividamento do setor agrícola, o elevado custo dos seus financiamentos, a bitributação previdenciária incidente sobre a folha de pagamento dos funcionários e as condições de importação de alimentos. A Comissão foi criada na última segunda-feira, 29, por meio de um Ato da Presidência, e tem como principal objetivo formular propostas para o enfrentamento da crise vivida pelo setor produtivo nacional.

Para Lázaro, que é ex-presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara (Capadr), é extremamente importante dar visibilidade para este tema, pois muitos avanços têm sido obtidos no setor. Entretanto, conforme destacou, ainda é preciso resolver problemas para fortalecer ainda mais o agronegócio brasileiro.

“O nosso objetivo é realizar um trabalho técnico, detalhado e até mesmo in loco para identificar os principais fatores que fazem com que muitos dos nossos produtores estejam endividados. Como membro da bancada ruralista, sou defensor de medidas que venham a beneficiar o setor. Portanto esse levantamento que será realizado por nós auxiliará na implementação de políticas de sustentação da renda agrícola”, disse.

O coordenador da Comissão, deputado Jerônimo Goergen (PP/RS), também destacou a importância dessa Comissão. Para ele, um dos pontos que devem ser debatidos é o de refinanciamento de débitos que são realizados para os produtores rurais. “Há dívidas com bancos, empresas privadas e a capacidade de investimento e crédito ficou praticamente inviabilizado. Com o passivo do Funrural, isto fica mais agravado e o resultado é a perda de renda do setor”, disse.

Na próxima semana, será levada pela Comissão ao Governo Federal a proposta de criação de um grupo de trabalho formado por Ministério da Agricultura, Ministério do Planejamento, Ministério da Fazenda, Banco do Brasil, Banco Central, Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (Acebra), CNA, Aprosoja e Abimaq. A Comissão será formada pelos seguintes parlamentares: Jerônimo Goergen, Lázaro Botelho, Evair de Melo (PV-ES), Dilceu Sperafico (PP-PR), Domingos Sávio (PSDB-MG),  Evandro Roman (PSD-PR), Valdir Colatto (PMDB-SC) e Zé Silva (SD-MG).