Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Ciência & Tecnologia

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Programa de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Setor de Energia Elétrica da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica designa as concessionárias de energia elétrica que destinem um percentual mínimo de suas receitas operacionais líquidas em projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico do Setor de Energia Elétrica. Desta forma o governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt) busca uma possível parceria com o Grupo Energisa. Nesta quinta-feira, 28, representantes das instituições se reuniram para tratar do assunto e alinhar ações.

Segundo o presidente da Fapt, Prof Dr, Márcio Silveira, o programa de pesquisa e desenvolvimento da Aneel tem uma grande relação com a missão da Fapt, pois o recurso que a Energisa possui no valor de R$ 8 milhões que representa 0,5% de suas receitas mínimas que oportuniza a realização dos estudos dos pesquisadores. “Temos muitos talentos, boas ideias e projetos, mas sem recursos para materializar isso, de nada adianta. Desta forma, um Estado para se desenvolver precisa de uma comunidade científica que gere pesquisa, desenvolvimento e inovação”, ressaltou o presidente da Fapt, Márcio Silveira.    

Segundo o Analista de Eficiência Energética da Energisa, Domingos Costa, a proposta é fazer uma ação em conjunto com a Fapt visando o fomento da área de investimento e aproximar os pesquisadores tocantinenses do programa. “A sociedade tem sempre a ganhar. A concessionária hoje é de serviço público e essa parceria pode promover e buscar mais pesquisadores, além de desenvolver novas tecnologias e projetos inovadores”, afirmou o analista.

Caso a parceria seja firmada, o papel da Fapt é a elaboração de editais para a seleção de projetos do segmento visando o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação do Estado do Tocantins. (Ascom Fapt)