Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Saúde

Foto: Antônio Gonçalves

Pesquisadores do Programa Pesquisa para o Sus (PPSUS) do Ministério da Saúde que conta com apoio do Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt) reúnem-se em seminário técnico nesta quinta-feira, 28 a sexta-feira, 29. O evento ocorre na Escola de Saúde do SUS (ETSUS) na 606 Sul em Palmas/TO e objetiva o fortalecimento e o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica que buscam soluções para os problemas do Sistema Único de Saúde (SUS) do Estado.

Segundo a Assessora de Programas e Projetos de Saúde da Fapt, Adriana Arruda, são 15 projetos de pesquisa científica que são financiados pelo governo federal, com a contrapartida do governo do Tocantins. Um investimento de R$ 570 mil reais que vem sendo usado desde quando iniciou as pesquisas em 2018 com perspectiva para conclusão em 2021. Os estudos em execução foram selecionados por meio de editais organizados pela Fapt, dos quais foram aprovados projetos de pesquisadores de instituições de ensino superior do Estado como UFT, Unitins, e Secretaria de Estado da Saúde (SES/TO).

Evento técnico

O evento é dividido em dois momentos, o Seminário Marco Zero que ocorre nesta quinta-feira, 28 das 9h ás 16h e reúne nove projetos que serão apresentados com as recomendações realizadas pela comissão de especialistas. Serão abordados temas na área de saúde como: Metas pactuadas dos indicadores de saúde, Acidente botrópico, Cuidadores de idosos, Vigilância de arbovírus, Diagnósticos para detecção do zika vírus, Saúde pública dos alimentos de origem animal comercializados informalmente, Exames preventivos para mulheres, Reinserção social e Leishmaniose.

O Seminário de Avaliação Parcial ocorre na sexta-feira, 29, das 9h às 12h e conta com a participação de seis projetos que iniciaram suas pesquisas há um ano e irão apresentar os resultados e produtos até o momento.  Serão apresentadas pesquisas com temas sobre: Análise de susceptibilidade a antibióticos de bactérias multirresistentes, Ferramentas de análise geo espacial sobre casos de hanseníase, Leishmaniose visceral, Distúrbios neurológicos causados pela deficiência da vitamina B1, Programas de residência médica em saúde da família e Formulação de inseticidas para controle do zika vírus.

Os trabalhos serão avaliados por uma banca de especialistas formado pela médica da USP – Universidade de São Paulo, que é Pós-Doutora pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Andrea Tenório e pelo médico Pós-Doutor pela University, Boston, Sérgio Alberto Rupp de Paiva vinculado à Faculdade de Medicina de Botucatu/SP. Além de avaliadores da Secretaria de Estado da Saúde (SES/TO).