Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­tica

Independentemente da sua opinião sobre Jair Bolsonaro, a verdade é que há muitas pessoas que não gostam dele, pessoas dentro e fora da política. Estamos vivendo uma crise sanitária sem precedentes no Brasil e há quem coloque boa parte da responsabilidade por isso na conta de Bolsonaro. Em fevereiro, o número absurdo de 70 pedidos de impedimento para Bolsonaro estava acumulado e é de se esperar que este número aumente.  

Ele já é recordista em número de pedidos de impedimento, superando a Dilma, mas não há qualquer sinal de que o processo seja levado adiante. Então, por que Bolsonaro está longe de ter seu mandato impedido? Este artigo vai te ajudar em como fazer um resumo sobre a situação.  

Não há apoio da população 

Este é um dos pilares para o impedimento acontecer. É necessária que uma parte considerável da população esteja insatisfeita com o atual presidente. Podemos fazer um paralelo com a situação de Lula durante seu primeiro mandato. Era o auge do mensalão, um escândalo que agitou o cenário político. Naquele momento, havia políticos interessados em acabar com o mandato do então presidente. Mas também era um momento em que o Brasil vivia uma excelente situação econômica. As pessoas em geral sequer davam qualquer demonstração significativa do desejo pelo impedimento de Lula. O processo nunca foi adiante. 

Neste começo de 2021, a aprovação de Bolsonaro é baixa, mas não há uma manifestação popular grande o bastante que apresente perigo para o político. E agora, com a possibilidade de Lula voltar a concorrer às eleições em 2022, há quem goste da possibilidade de ver Bolsonaro sendo derrotado nas urnas. 

Não há apoio do congresso 

Este é o segundo pilar para que o impedimento ocorra. Se tem uma coisa que Bolsonaro fez bem, foi criar uma base sólida de aliados tanto no Congresso quanto no Senado. É verdade que muitos dos seus apoiadores, que foram eleitos com ele em 2018, acabaram rompendo as relações com o presidente, mas o cenário político é bastante favorável para ele.  

Para tornar isso uma realidade, Bolsonaro fez negociações gigantescas com um grupo de políticos conhecidos como Centrão. Trata-se de um grupo de políticos, marcado principalmente pela presença do partido Democratas, cuja lealdade política muda constantemente.  

A verdade é que o Centrão não é, ou pelo menos, não tem demonstrado ser fiel a qualquer corrente ideológica, seja esquerda ou direita, o Centrão vai ajudar de acordo com a negociação de cargos políticos e etc.

O cenário onde o impedimento acontece 

Digamos que o impedimento de Bolsonaro realmente aconteça. Nesse caso, o cenário mais improvável, ou mais incorreto, é com o vice-presidente Mourão assumindo. Ter um líder é bom para estabilidade de qualquer país e Mourão já se mostrou contrário a muitas coisas que Bolsonaro aprova.  

O outro cenário é com a chapa Jair-Mourão caçada e o presidente da Câmara dos Deputados assumindo o comando. Arthur Lira é quem possui este cargo e ele também é conhecido como líder do Centrão. O Centrão é um grupo com uma agenda bem particular, para dizer o mínimo, e o que está no melhor interesse do Centrão não necessariamente se alinha com o melhor interesse do Brasil.

Considerações finais 

Apenas dois presidentes foram impedidos até então. Dois impedimentos em menos de 10 anos é um sinal claro de que estamos fazendo algo de errado. 

Impedimentos são processos sérios. A vontade do povo deve ser respeitada. Bolsonaro já passou da metade do seu mandato e em 2022, o povo terá a chance de mostrar todo o seu descontentamento com o atual presidente, ou não.