Campo

Empresários do grupo paranaense Cescage, em parceria com investidores estrangeiros que devem visitar o Tocantins no próximo mês, irão aplicar R$ 30 milhões na construção de duas usinas produtoras de álcool derivado de batata-doce. As usinas, que somarão capacidade para produzir 100 mil litros de biocombustível ao dia ou 2,6 milhões de litros ao mês, serão localizadas em Araguaína e Porto Nacional, segundo afirmou o diretor da Cescage, José Sebastião Fagundes Cunha, após audiência com o governador Marcelo Miranda (PMDB), nesta segunda-feira, 17.

O início da construção da primeira usina está previsto para março de 2008, quando estiver avançado o plantio de batata-doce para abastecê-la, totalizando uma área de 3 mil hectares.

Os empreendimentos utilizarão tecnologia tocantinense, resultado de 10 anos de estudos da UFT - Universidade Federal do Tocantins em parceria com o governo do Estado, que visam, além da produção do etanol, também do álcool destilado para a fabricação de bebida e de álcool refinado para perfumes. Os resíduos da batata, segundo os estudos, ainda são aproveitados como ração animal.

De acordo com Fagundes Cunha, a principal vantagem da produção do álcool a partir da batata-doce é o número de empregos gerados na agricultura familiar, muito superior a da produção com a cana-de-açúcar.

Cunha destacou que, para obter o selo de responsabilidade social irá desenvolver o projeto junto a agricultores assentados e lhes fornecerá tecnologia e conhecimento para a criação de caprinos, ovinos, suínos e bovinos, que se alimentarão com os resíduos da batata.

Ainda de acordo com o empresário paranaense, o que o atraiu para investir no Tocantins foi a qualidade da pesquisa, que prevê a produção de 40 toneladas de batatas por hectare, rendendo entre 4,6 mil e 10,4 mil litros por hectare. "Acredito que será uma revolução na tecnologia dos biocombustíveis", destacou Fagundes Cunha.

Para o pesquisador Márcio da Silveira, responsável pelo projeto de produção de álcool de batata doce da UFT, é uma oportunidade para colocar em prática a pesquisa e para o Tocantins fazer frente à China e a África, que começam a investir no mesmo setor. A parceria com o governo do Estado é importante no sentido de por em prática o projeto e alavancar a produção de biocombustível, avaliou Silveira.

O governo é parceiro da pesquisa da universidade, desenvolvendo a produção irrigada de batata-doce no Centro Agrotecnológico.

Também participou da audiência o reitor da UFT - Universidade Federal do Tocantins, Alan Barbiero

Cescage

O grupo Cescage, com sede no Paraná, atua nos ramos de educação, através do Centro de Ensino Superior dos Campos Gerais, laboratório de genética animal e produção de carne de ovinos e caprinos.

Fonte: Secom

Por: Redação

Tags: campo, Cescage, Marcelo Miranda, UFT, usina