Economia

O parcelamento das compras no cartão de crédito é adotado pela maioria dos jovens, mulheres e solteiros, segundo pesquisa divulgada pela Itaucard nesta quarta-feira. No geral, as compras parceladas ultrapassaram as realizadas à vista pela primeira vez no acumulado do ano.

A pesquisa mostra que, nos nove primeiros meses deste ano, os parcelamentos corresponderam a 56% de todas as compras realizadas por jovens de 18 e 19 anos. Outro dado é que a modalidade é utilizada por esses consumidores para acesso a compras de maior valor. O tíquete médio dos jovens que usam o cartão no parcelamento é de R$ 131 --uma média 4,5 vezes superior ao das compras a vista, que é de R$ 29.

O parcelamento é também a opção preferida pelas mulheres, que concentram 56% de seus gastos com o cartão nesta modalidade. Já os homens recorrem ao parcelamento em 46% de suas compras. O tíquete médio em cada um dos grupos é bem diferente: o do público masculino é de R$ 247, e o do feminino R$ 196.

Segundo o estudo, os solteiros utilizam o cartão para parcelar 52% de suas compras, percentual um pouco acima ao registrado no grupo de casados, que é de 49%. Em relação ao tíquete, os casados média de R$ 231, valor 12% superior ao gasto médio de R$ 206 dos solteiros.

Geral

A pesquisa geral sobre o uso do cartão de crédito mostra que, no acumulado de janeiro a setembro de 2007, as compras parceladas respondem por R$ 64,9 bilhões do faturamento, ou 50,5% do volume total. Deste número, o parcelamento sem juros responde pela maior parte, 49,1%, e o parcelamento com juros participa com apenas 1,4%.

Até dezembro, a projeção é que as compras parceladas no cartão somem R$ 93,6 bilhões, um avanço de 23,4% em relação a 2006. As compras à vista também crescerão, com o volume devendo atingir R$ 87,9 bilhões. "Confirmada a estimativa, este será o primeiro ano na história da indústria brasileira de cartões que o uso da opção do parcelamento sem juros superará o pagamento à vista", afirmou Fernando Chacon, diretor de Marketing de Cartões do Itaú.

No terceiro trimestre de 2003, do total de portadores de cartões de crédito, 51% utilizavam o parcelamento em suas compras. Atualmente, este universo é de 65%, com 20 milhões de portadores.

Para Chacon, a mudança de comportamento decorre da disseminação do parcelamento entre portadores e lojistas, e especialmente pelo fato do cartão ter se tornado um facilitador do acesso ao crédito, principalmente para as classes de renda mais baixa. "Ao optar por essa modalidade de pagamento, o consumidor tem a oportunidade de adequar suas compras em seu orçamento e controlar assim sua capacidade de consumo".

Entre janeiro e setembro deste ano, 55% das compras realizadas pela baixa renda foram parceladas, com um tíquete médio de R$ 181. Na alta renda, que utiliza o parcelamento de pagamento em 42% de suas compras, o tíquete médio é de R$ 336.

Parcelas

Uma pesquisa com os portadores de cartões indicou que a maior parte deles (46%) prefere parcelar suas compras em até três vezes. Já em relação ao valor para as compras parceladas, 29% dos entrevistados disseram que o parcelamento é mais utilizado para compras entre R$ 100 e R$ 200.

De janeiro a setembro de 2007, a participação do parcelamento no cartão em compras de eletrônicos/construção/móveis foi de 86%. No segmento de vestuário/lojas de departamento e calçados, o percentual chega a 82%. As compras parceladas em drogarias, farmácias e ópticas aparecem na seqüência, respondendo por 73% do total.

Folha Online

Por: Redação

Tags: Economia, indústria