Economia

Os bancos ampliaram em 0,5 ponto percentual a taxa média de juros incidente no cheque especial em setembro, para 140% ao ano. No acumulado de 12 meses, houve, contudo, declínio de 3,5 pontos percentuais. O spread (ganho com a diferença entre o custo de aplicação e o custo de captação) cobrado pelos bancos nessa operação passou de 129,6% em agosto para 130% em setembro.

Nas outras modalidades de crédito à pessoa física, o custo médio do empréstimo para aquisição de veículos passou de 28,7% em agosto para 28,6% em setembro. Em 12 meses, essa taxa média cedeu 4,4 pontos percentuais.

O juro do crédito pessoal caiu 0,5 ponto percentual, ficando em 49,4% ao ano e acumulou recuo de 9,5 pontos em 12 meses.

Dentro dessas operações, a taxa média dos empréstimos com desconto em folha de pagamento caiu 0,4 ponto, de 30,7% em agosto para 30,3% anuais em setembro. Em 12 meses, esse juro cedeu em média 4,4 pontos percentuais. As operações tradicionais de crédito pessoal permaneceram com juros estáveis em 64,1% em setembro. A retração em 12 meses na taxa média dessas operações é de 11,7 pontos percentuais.

As taxas de empréstimos cobradas para aquisição de bens variados - como eletroeletrônicos, por exemplo - também ficaram estáveis em setembro, em 55,2% ao ano. Esse juro médio baixou 5,8 pontos percentuais nos 12 meses encerrados em setembro. Os dados foram divulgados pelo Banco Central (BC).

Valor Online

Por: Redação

Tags: Economia