Opinião

Em pleno século XXI é impossível viver sem a comunicação. Hoje, as relações pessoais e comerciais ocorrem principalmente com a utilização da moderna tecnologia. É impossível para um profissional liberal ou estudante atuar em sua área sem fazer uso da internet ou do telefone. Mas no Tocantins, o que podemos sentir quando o assunto é a telefonia? Na verdade o sentimento é de tristeza.

Infelizmente os direitos do consumidor são rasgados quando a temática é esta. Atualmente existe um monopólio no Estado, que é comandando pela Brasil Telecom. Uma prestadora de serviço que não atende as necessidades dos seus clientes, e muito menos, consegue respeitá-los.

O exemplo do descaso começa no atendimento de sua central. Ao ligar no número 103-14 o cliente precisa exercitar a paciência. São horas intermináveis de uma gravação falando dos serviços da operadora. Após isso, ele precisa ter muita, mas muita mesmo, tolerância.

A tolerância é necessária para suportar os absurdos ditos pelos funcionários da empresa quando ligamos para reclamar de um serviço. E isso acontece porque eles, que não possuem culpa, precisam deixar evidente que a culpa dos problemas com a telefonia não está na empresa, mas sim, no cliente.

Sou uma assídua reclamante no 103-14, até porque meu telefone tem uma rotina invariável de ficar mudo, a internet sem conexão e a baixa da solicitação de reparos sem que o serviço tenha sido efetuado. Isso sem falar nas vezes que ligo para informar a cobrança indevida na minha conta, que sempre é dito a mim que estou errada, e que o serviço foi feito.

Por quase um mês fiquei com o telefone mudo. Mas a conta de telefone não foi alterada. Ela permaneceu a mesma, uma vez que eles disseram que eu que estava errada. A sensação que tenho é de estar sendo assaltada a mão armada. Infelizmente, sinto-me desprotegida. E o que fazer numa hora dessas? Procurar o Procon?

Já não tenho esperanças de buscar meus direitos. Sempre eles são esquecidos. É necessário que todos entendam que numa relação de prestação de serviços o alicerce é um só: o respeito. E respeito com seu cliente é algo que está fora do dicionário desta empresa. Algo precisa ser feito, urgentemente, para que o consumidor tocantinense seja protegido de empresas como esta, que não prestam seu serviço com qualidade, cobram caro e sempre são donas da verdade. Mas o que fazer?

Esta é uma dúvida que resolvi compartilhar, porque tenho certeza, que como eu, existem vários outros clientes na mesma situação.E o engraçado de tudo isso, ou trágico, melhor dizendo, é que quando a telefonia foi privatizada no Brasil a informação era de que os serviços seriam melhorados.

Concordo que houve democratização. Hoje, todos podemos ter uma linha telefônica. Mas infelizmente, esqueceram do principal, a qualidade do serviço prestado.No livre comércio é necessário concorrência, e está faltando nesse mercado a opção do consumidor escolher. Falta um concorrente para a Brasil Telecom, pois quem sabe assim, nós consumidores seremos respeitados.

(Júlia Bastos)

 

Por: Júlia Bastos

Tags: Brasil Telecom, Comércio, Oi, Opinião, Telefonia