Meio Ambiente

Foto: Naturatins

Preocupado com o período da piracema, o Naturatins – Instituto Natureza do Tocantins tem desenvolvido diversas ações para coibir a pesca predatória no Estado. A “Operação Desova”, planejada pela coordenadoria de Fiscalização do órgão, aconteceu neste final de semana, entre os dias 18 a 20, estrategicamente nos rios Araguaia, entre os municípios de Caseara a Esperantina; no Rio Tocantins, no trecho de Ipueiras a Esperantina; na Lagoa da Confusão, nos rios Urubu, Pium, Javaés, Formoso e lagos da região; em Formoso do Araguaia, no rio Formoso, Javaés e tributários; e em Arraias, nos rios Maranhão, Paranã, Palmas, Santa Izabel e Palmeiras, regiões mais propícias à pesca predatória. A ação inibidora teve como o objetivo garantir a reprodução dos peixes no período de desova, longe da ação predadora do homem.

A operação foi estruturada com a formação de duas equipes, dispondo de 42 fiscais e agentes que atuaram de forma eficiente, tanto nas apreensões quanto nos trabalhos de conscientização.Todas as pessoas encontradas dentro ou nas margens dos rios foram abordadas e receberam o apelo das autoridades ambientais para que denunciassem a prática de crimes contra o meio ambiente.

A união das 11 Unidade Regionais do Naturatins (Palmas, Goiatins, Araguaína, Tocantinopolis, Arapoema, Araguacema, Formoso do Araguaia, Arraias, Araguatins, Pedro Afonso e Lagoa da Confusão) resultou na apreensão recorde de 12.816 metros de redes, 24 tarrafas, 7 molinetes, 3 caixas de isopor, 294 quilos de pescados, 5 tartarugas, 1 tracajá, 2 motores rabeta, 80 armadilhas para captura de tracajás e tartarugas, 15 bóias, 236 espinheis, 30 pinda, 1 viveiro.

Piracema

A piracema é o período quando os peixes sobem até as cabeceiras dos rios, nadando contra a correnteza para realizar a desova e a reprodução. Este fenômeno é considerado essencial para a preservação da ictiofauna dos rios e lagoas.

 

Fonte: Secom

Por: Redação

Tags: Meio Ambiente, Naturatins, Tocantins