Palmas

Foto: Umberto Salvador Coelho
  • Foto - Umberto Salvador Coelho
  • Foto - Umberto Salvador Coelho
  • Foto - Umberto Salvador Coelho
  • Foto - Umberto Salvador Coelho
  • Foto - Umberto Salvador Coelho
  • Flanelinha não gostou de ter as barracas fotografadas - Foto - Umberto Salvador Coelho
  • Foto - Umberto Salvador Coelho

As famílias compareceram em bom número para a matinê deste domingo, 3, de carnaval no circuito da folia na Praia da Graciosa em Palmas. Nos parquinhos infantis do local, muitas crianças aproveitavam para brincar enquanto esperavam pela apresentação da banda Sthilos, Pagode e Samba que começou a tocar por volta das 17 horas, na programação oficial estava previsto para começar às 16 horas.

A representante comercial Ivone Fernandes Naves aproveitou o domingo para na companhia do marido levar suas duas filhas para aproveitar a programação voltada às crianças, “ainda não conhecia este local, estou gostando, é bastante agradável”. Segundo a representante comercial na folia noturna ela não participa “prefiro ficar em casa descansando”.

Embora a parte do circuito tenha recebido bastantes pessoas nesta tarde, a praia estava vazia e poucos banhistas que se animaram a ir para a água, pois o dia estava nublado.

A programação desta noite começa por volta das 20 horas com desfile das escolas de samba logo depois é vez dos trios entrarem no circuito. Às 22h30 - Trio 1: Liberou Geral; 00h00 - Trio 2 : Ara Ketu; 2 horas - Palco: Banda Paramazon

 

O Flanelinha dos sapatos brancos

Durante a produção desta matéria fomos abordados por um flanelinha que não gostou que fotografássemos umas barracas de acampamento localizadas dentro de um terreno baldio que fica atrás de um prédio em construção.

Após algumas palavras de intimidação ele disse para abrirmos os olhos. Conversamos então com uma fiscal da ATTM que se encontrava no local e ela disse que em todo evento que o elemento se encontra ele cria confusão por achar que tem a proteção de um irmão que trabalha na Guarda Metropolitana.

Desta forma procuramos o posto policial que fica na entrada do circuito pra comunicar o fato e recebemos a informação dos policiais que estavam de plantão às 17 horas que teríamos de ir a uma delegacia, pois eles tinham fatos mais graves para olhar, "como alguém que está levando uma facada". Diante destes fatos lamentáveis decidimos vir embora e não mais cobrir o carnaval.

Umberto Salvador Coelho