Polí­tica

O presidente da Câmara Municipal, Carlos Braga (PMDB), pouco antes do início da sessão desta terca-feira, 4, disse que as portas da Casa estão sempre abertas aos jornalistas e, também, à população. "Tanto que havia agentes de saúde e representantes da imprensa na última quinta-feira, quando foi votado o projeto de lei que efetivou a categoria", ressaltou Braga.

A manifestação do presidente e, depois, de outros vereadores, na sessão ordinária, deve-se ao fato de um veículo de comunicação ter divulgado manifestação de um vereador oposicionista, insatisfeito com o fato de algumas de suas emendas terem sido rejeitadas.

"Não podemos aceitar que integrantes da Comissão de Constituição e Justiça coloquem para apreciação em plenário, matérias inconstitucionais que prevêem aumento de despesa", disse o presidente da CCJ, vereador Wanderlei Barbosa (PSB). Ele lembrou, também, que as referidas emendas tratavam de aumento salarial, quando o projeto previa apenas a efetivação. "Pela Constituição Federal, nenhum parlamentar pode aumentar salário de servidor", ressaltou Wanderlei, lembrando, ainda, que o sindicato foi derrotado na tentativa de instalar o regime celetista, quando a maioria queria o estatutário.

PT e UT

O vereador Ivory de Lira, líder da bancada do PT na Casa, rejeitou matéria publicada pelo "O Jornal" sobre possível aliança entre seu partido e da União do Tocantins (UT). "Em nenhum momento, o PT foi ouvido", disse. "Nunca participei de nenhuma reunião da Executiva e do Diretório que tenha tratado deste assunto", completou.

O líder do prefeito na Casa, Rilton do PT, informou que os debates para a eleição deste ano só terão início dia 10 e a tendência é manter a aliança vitoriosa de 2004, com PMDB, PPS e outros partidos, ampliada, se possível, com siglas como o PSB.

Da redação com informações da Dircom/ CMPalmas

Por: redação

Tags: Política