Esporte

Foto: Tom Papp
  • Foto - Marcelo Krings
  • Foto Donizetti Castilho

Na próxima quarta-feira,18, logo pela manhã, as primeiras motos partem de Goiânia (GO) em direção à Natal (RN). Começa a 16ª edição da maior prova off-road da América Latina. Com o cancelamento do Rally Dakar, o Sertões poderá se tornar a maior prova off-road do mundo em 2008.

Como foi prometido pela organização, o Rally dos Sertões tem várias novidades. A primeira mudança para os dez dias de prova é no percurso: 90% da prova será inédito, passando por cidades dos estados de Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará e encerrando a prova no Rio Grande do Norte.

Para aumentar a dificuldade dos pilotos, o responsável pelo trajeto da competição, Du Sachs, garante que a prova deste ano será inesquecível, com pegadinhas durante o percurso e cenários de encher os olhos. "As provas irão exigir dos pilotos e navegadores, não tem especial boba", alerta Sachs.

Nos 4.734 quilômetros total da prova, 53% do trajeto serão feitos em trechos especiais, ou seja, 2.514 quilômetros são cronometrados e deixarão a disputa ainda mais acirrada. Este ano a competição terá a maior especial de todas as edições do Rally dos Sertões, com 536 quilômetros de extensão. O trecho será realizado durante a sexta etapa do rali e os pilotos, pela primeira vez, terão direito a abastecimento de seus carros durante uma especial. Sachs prevê que o tempo estimado que os veículos farão neste trajeto será de aproximadamente oito horas.

Além das especiais cheias de surpresas, os pilotos irão encarar dois dias de etapas maratona. Sem as equipes de apoio, os competidores terão de cuidar de seus próprios veículos, na quarta e na sétima etapa – logo após a longa jornada da especial da etapa anterior. O primeiro dia da maratona será realizado entre os estados de Goiás e Tocantins; a seguinte, entre o Maranhão e Piauí.

Mais desafios

Du Sachs alerta que o quarto dia de competição será o mais técnico e exigirá habilidade e trabalho de equipe. Nos trechos desta etapa, os pilotos encontrarão longas retas para poder pisar fundo, trilhas, muitas curvas e pastos. A maratona acontecerá no mesmo dia. "Os times devem poupar os equipamentos e administrar bem a corrida", alerta.

A prova deste ano termina no Forte dos Reis Magos, em Natal (RN), sob o olhar da novíssima ponte Newton Navarro, cartão postal da capital potiguar.

Fonte: Webventure

Por: redação

Tags: Esporte, Rally