Polí­tica

Foto: Divulgação Irônico, Eli Borges disse que mosquito não lê jornal - Foto - koró Rocha Irônico, Eli Borges disse que mosquito não lê jornal - Foto - koró Rocha

O pré-candidato a prefeito de Palmas, deputado estadual Eli Borges (PMDB), disse na manhã desta terça-feira, 17, em entrevista ao Conexão Tocantins que trabalha com dois cenários para os próximos dias: ou ter o apoio do governador Marcelo Miranda (PMDB), ou continuar forçando a divisão. Borges está convicto de que quando mais dividido, melhor para sua candidatura.

O peemedebista disse que o primeiro passo para solidificação do seu projeto já foi dado, “vou para as convenções, sou candidato a prefeito de Palmas e estou buscando o apoio do partido”.

Sobre a atitude dos integrantes da Frente Popular que resolveram pelo apoio à candidatura do petista Raul Filho (PT), Eli disse que eles têm o seu respeito, mas prefere que eles respondam os motivos que os levaram a tal decisão. “Continuamos sendo amigos, continuamos conversando e cada partido tem sua questão interna para resolver”, disse.

Com relação à perspectiva de o PMDB vir a compor com a pré-candidata do DEM, Nilmar Ruiz, Eli foi seco, “eu insisto na tecla que vou para as convenções e sou candidato, se o DEM quiser me ajudar neste projeto será bem vindo”, arrematou.

Pesquisas

Sobre o critério estabelecido pelo governador Marcelo Miranda de escolha do candidato melhor posicionado nas pesquisas, Eli entende que é um dos itens que devem ser observados para a escolha do candidato. Para o peemedebista é preciso ver também a curva de crescimento, a pesquisa qualitativa, as melhores propostas para se discutir com a sociedade e o currículo do candidato.

 

Umberto Salvador Coelho