Polí­tica

Foto: Clayton Cristus

A Assembléia Legislativa do Tocantins decretou por meio do seu presidente Carlos Gaguim (PMDB), luto oficial de três dias em razão do falecimento do ex-deputado estadual Gismar Gomes, ocorrido ontem, domingo, 10.

O Decreto Administrativo de n°330 foi assinado nesta segunda-feira pelo presidente.

Perfil

O médico Gismar Gomes, que é natural de Anápolis (GO), chegou em Gurupi, então Norte de Goiás em 1970, mas no mesmo ano mudou-se para Porto Nacional, onde enveredou para o campo político.

Gismar aceitou o convite para disputar a prefeitura de Porto Nacional no cargo de vice-prefeito, em 1992, ao lado de Fábio Martins, aceitou o desafio, e, venceram a eleição. Ao assumir a prefeitura, Gismar foi nomeado secretário Municipal de Saúde, deixando o cargo para disputar a candidatura de deputado estadual em 1994, época que foi eleito para seu 1° mandato.

Já no Parlamento foi convidado para comandar a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, voltou para a Assembléia e foi reeleito para a 4ª Legislatura. Sua história como parlamentar foi marcada por sua atuação dinâmica nas áreas de saúde, educação, cultura, e como defensor dos interesses da classe empresarial e dos produtores rurais.

Ainda na Assembléia Legislativa, foi membro de cargos na Mesa Diretora como 1° Vice-presidente e 4° secretário, das Comissões de Defesa do Consumidor, Trabalho e Administração, de Saúde e Meio Ambiente, de Constituição, Justiça e Redação, além de ter sido líder de governo.

De janeiro de 2005 a novembro de 2006, assumiu a Secretaria Estadual de Saúde, último cargo público no Estado. Nascido em 5 de janeiro de 1953, Gismar Gomes era filho de Paulo Gomes e Aparecida Gomes, tinha como esposa Vilma Alves Martins de Oliveira e era pai de Paulo Valério, Kamila Cássia, Rafael Ângelo e Gabriela.

Por: Redação

Tags: Assembleia Legislativa, Política